AMERICANO É TRICAMPEÃO MUNDIAL DE LONGBOARD

Brasileiro Phil Rajzman fica como vice-campeão do Taiwan World Longboard Championship nas ondas da na praia Jinzun Harbour.

O brasileiro Phil Rajzman ficou como vice na Ilha Taiwan. Foto: Hain/WSL.

Depois de dois dias de espera, as ondas voltaram a apresentar boas condições na praia Jinzun Harbour neste domingo para fechar o Taiwan World Longboard Championship na Ilha Taiwan. O brasileiro Phil Rajzman ganhou o primeiro duelo do dia, mas perdeu a grande final para Edouard Delpero.

Com a vitória, o francês igualou os resultados do americano Taylor Jensen na liderança do ranking, então foi preciso realizar uma bateria extra para definir o título e o norte-americano confirmou o tricampeonato, repetindo as suas conquistas de 2011 e 2012.

Taylor Jensen. Foto: hain/WSL.

Taylor Jensen comemora o título de tricampeão. Foto: Hain/WSL.

“Isso nem parece ser real para mim agora, mas estou muito feliz Essa semana foi uma verdadeira montanha-russa de emoções com a minha derrota nas quartas de final  para Phil Rajzman). Fiquei na expectativa vendo alguns concorrentes caírem e foi uma semana tensa para mim, fiquei muito nervoso e nem conseguia dormir direito. Então, quando vi que teria que surfar de novo, eu apenas tratei isso como se fosse uma final normal e foi muito legal ter uma bateria extra para decidir o título”, falou o tricampeão Taylor Jensen.

Isso só havia acontecido uma vez na história da World Surf League para decidir o título mundial Pro Junior de 2011. Naquele ano, o brasileiro Caio Ibelli liderava o ranking das três etapas, mas o australiano Garrett Parkers igualou sua pontuação na última delas na Austrália. Então, ambos tiveram que definir o campeão num tira-teima e  Ibelli ficou com o título. Agora, o fato se repetiu para definir o campeão mundial de Longboard de 2017.

O californiano Taylor Jensen em ação. Foto: Hain/WSL.

O californiano Taylor Jensen tinha vencido a primeira etapa em Papua Nova Guiné e foi barrado pelo brasileiro Phil Rajzman nas quartas de final. Com exceção do carioca, os três outros semifinalistas tinham chance de igualar seus resultados com a vitória no Taiwan World Longboard Championship, pois haviam ficado em quinto lugar em Papua Nova Guiné.

O único que poderia garantir o tricampeonato de Taylor Jensen sem precisar de uma bateria extra era o próprio Phil Rajzman se vencesse o Taiwan World Longboard Championship, etapa da Ilha Taiwan, mas ele não conseguiu.

Phil Rajzman nas ondas na praia Jinzun Harbour. Foto: Hain/WSL.

FINAL EM TAIWAN – O brasileiro também já tem dois títulos mundiais no currículo, de 2007 e do ano passado, enquanto Edouard Delpero tentava ser o primeiro francês a ser campeão. Ele conseguiu uma melhor sintonia com as ondas de Jinzun Harbour desde o início da bateria, largando na frente com notas 7,00 e 6,33 em suas primeiras ondas.

Para Phil Rajzman, não dava nada certo e o francês ia aumentando a vantagem a cada apresentação para festejar a vitória por 15,83 a 11,03 pontos, computando notas 7,83 e 8,00 das suas melhores ondas.

Edouard Delpero levou o título da etapa. Foto: Hain/WSL.

“O evento todo foi ótimo para mim. Eu trabalhei muito duro esta semana para chegar na final e me sentia preparado para ganhar, mas nunca imaginaria ter que disputar uma bateria extra para decidir o título mundial. Eu adoro Taiwan e tenho recordações maravilhosas dessa região de Taitung, então ganhar aqui é incrível e já estou ansioso para voltar para cá no ano que vem”, disse Edouard Delpero, que já havia vencido uma etapa na Ilha Taiwan válida pelo Longboard Qualifying Series.

Phil Rajzman. Foto: Bennrtt/WSL.

Phil Rajzman. Foto: Bennrtt/WSL.

Phil Rajzman terminou em quarto lugar no ranking mundial de 2017 da World Surf League e elogiou o francês Delpero: “Ele estava surfando incrivelmente bem durante todo o evento e realmente mereceu a vitória. Eu lutei bastante para encontrar boas ondas na final, só que o mar estava muito difícil, mas eu adoraria vencer o evento. Teria sido muito especial para mim ganhar a bateria e dar o título para o Taylor, que é um grande amigo meu. Mas, ter uma bateria extra para definir o campeão, foi realmente emocionante para o esporte.”

SEMIFINAIS – Como Rajzman não conseguiu vencer Taylor Jensen, ele teve que voltar ao mar para tentar o seu terceiro título contra Edouard Delpero, que já tinha derrotado dois bicampeões mundiais no domingo em Jinzun Harbour.

 Harley Ingleby> Foto: Hain/WSL.

Harley Ingleby> Foto: Hain/WSL.

A primeira vítima foi o australiano Harley Ingleby, número 1 do ranking em 2009 e 2014. Essa semifinal foi bem mais disputada do que a primeira, quando Phil Rajzman despachou o americano Cole Robbins por apenas 11,06 a 10,50 pontos.

A batalha pela segunda vaga na grande final foi nivelada por cima, com o francês conseguindo três notas no critério excelente dos juízes, contra duas na casa dos sete pontos do australiano. Edouard Delpero computou o 8,67 e 8,20 recebidos em duas ondas seguidas para superar Harley Ingleby por 16,87 a 14,93 pontos. O australiano terminou empatado em terceiro lugar no Taiwan World Longboard Championship com o americano Cole Robbins.

Cole Robbins. Foto: Hain/WSL.

Cole Robbins. Foto: Hain/WSL.

DECISÃO DO TÍTULO – Depois de também derrotar o campeão mundial de 2007 e 2016, Phil Rajzman, Edouard Delpero provocou a realização de uma bateria extra com Taylor Jensen, que estava bem mais descansado do que ele, só esperando o resultado da final.

Os dois tiveram um início de bateria parecido, com o francês largando na frente com notas 5,67 e 6,23 em suas duas primeiras ondas, contra 2,67 e 6,50 do californiano.

Mas Taylor Jensen pegou a melhor onda que apareceu na decisão do título e não desperdiçou a chance para arrancar uma nota 8,0, que acabou lhe garantindo o tricampeonato mundial por 14,50 a 13,16 pontos.

“Estou muito feliz. Eu fui o primeiro a vencer um evento válido pelo título mundial na Itália, o primeiro a vencer na China e é muito legal ser o primeiro a vencer aqui em Taiwan também. Ganhar em Papua Nova Guiné certamente me deu um novo ânimo e essa vitória aqui definitivamente aliviou a frustração de ter chegado tão perto do título nos últimos anos e não ter conseguido. Cheguei nesse evento muito motivado e foi realmente muito especial ser campeão em um lugar tão bonito, com altas ondas que rolaram durante toda a semana aqui”, disse Taylor Jensen, sobre os locais onde se sagrou campeão mundial.

TPódio do Taiwan World Longboard Championship na Ilha Taiwan. Foto: Hain/WSL.

DECISÃO DO TÍTULO MUNDIAL DE 2017 DA WORLD SURF LEAGUE:

Tricampeão mundial: Taylor Jensen (EUA) por 14,50 pontos (notas 8,00+6,50)

Vice-campeão de 2017: Edouard Delpero (FRA) com 13,16 pontos (6,93+6,23)

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO TAIWAN WORLD LONGBOARD CHAMPIONSHIP:

Edouard Delpero comemora  avitória da etapa. Foto: Hain/WSL.

Edouard Delpero comemora avitória da etapa. Foto: Hain/WSL.

Campeão: Edouard Delpero (FRA) por 15,83 pontos (8,00+7,83) – US$ 15.000 e 10.000 pontos

Vice-campeão: Phil Rajzman (BRA) com 11,03 pontos (6,20+4,83) – US$ 7.500 e 8.000 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 6.500 pontos e US$ 3.750 de prêmio:

1.a: Phil Rajzman (BRA) 11.06 x 10.50 Cole Robbins (EUA)

2.a: Edouard Delpero (FRA) 16.87 x 14.93 Harley Ingleby (AUS)

TOP-10 DO RANKING DE LONGBOARD DA WORLD SURF LEAGUE – FINAL 2017 – 2 etapas:

1.o: Taylor Jensen (EUA) – 15.200 pontos

1.o: Edouard Delpero (FRA) – 15.200 pontos

3.o: Kai Sallas (HAW) – 13.200

4.o: Phil Rajzman (BRA) – 12.000

5.o: Harley Ingleby (AUS) – 11.700

5.o: Antoine Delpero (FRA) – 11.700

5.o: Adam Griffiths (ING) – 11.700

5.o: Cole Robbins (EUA) – 11.700

9.o: Rodrigo Sphaier (BRA) – 8.000

9.o: Tony Silvagni (EUA) – 8.000

9.o: Steven Sawyer – 8.000

12: Piccolo Clemente (PER) – 6.950

14: Jeferson Silva (BRA) – 3.500

22: Eduardo Bage (BRA) – 2.250

22: Jefson Silva (BRA) – 2.250

22: Lucas Garrido Lecca (PER) – 2.250

RANKING MUNDIAL DE LONGBOARD DA WORLD SURF LEAGUE – FINAL 2017:

Campeã: Honolua Blomfield (HAV) – 16.500 pontos

Vice-campeã: Chloé Calmon (BRA) – 13.300

3.a: Lindsay Steinriede (EUA) – 13.200

3.a: Crystal Walsh (HAW) – 13.200

5.a: Rachael Tilly (EUA) – 11.700

5.a: Kaitlin Maguire (EUA) – 11.700

7.a: Chelsea Williams (AUS) – 10.400

8.a: Tory Gilkerson (EUA) – 9.800

9.a: Alice Lemoigne (REU) – 8.500

10.a: Atalanta Batista (BRA) – 6.950

14.a: Maria Fernanda Reyes (PER) – 3.500

CAMPEÕES MUNDIAIS DE LONGBOARD DA WORLD SURF LEAGUE:

2017: Taylor Jensen (EUA) tricampeão e Honolua Blomfield (HAW)

2016: Phil Rajzman (BRA) bicampeão e Tory Gilkerson (EUA)

2015: Piccolo Clemente (PER) bicampeão e Rachael Tilly (EUA)

2014: Harley Ingleby (AUS) bicampeão e Chelsea Williams (AUS)

2013: Piccolo Clemente (PER) e Kelia Moniz (HAW) bicampeã

2012: Taylor Jensen (EUA) bicampeão e Kelia Moniz (HAW)

2011: Taylor Jensen (EUA) e Lindsay Steinriede (EUA)

2010: Duane Desoto (HAW) e Cori Schumacher (EUA)

2009: Harley Ingleby (AUS) e Jennifer Smith (EUA) bicampeã

2008: Bonga Perkins (HAW) bicampeão e Joy Monahan (HAW)

2007: Phil Rajzman (BRA) e Jennifer Smith (EUA)

2006: Josh Constable (AUS) e Schuyler McFerran (EUA)

2005: nenhuma etapa

2004: Joel Tudor (EUA) bicampeão

2003: Beau Young (AUS) bicampeão

2002: Colin McPhillips (EUA) tricampeão

2001: Colin McPhillips (EUA) bicampeão

2000: Beau Young (AUS)

1999: Colin McPhillips (EUA)

1998: Joel Tudor (EUA)

1997: Dino Miranda (HAW)

1996: Bonga Perkins (HAW)

1995: Rusty Keaulana (HAW) tricampeão

1994: Rusty Keaulana (HAW) bicampeão

1993: Rusty Keaulana (HAW)

1992: Joey Hawkins (EUA)

1991: Martin McMillan (AUS)

1990: Nat Young (AUS) tetracampeão

1989: Nat Young (AUS) tricampeão

1988: Nat Young (AUS) bicampeão

1987: Stuart Entwistle (AUS)

1986: Nat Young (AUS)