AZEITE, BURACO, VACA… ENTENDA O DIALETO DO SURF

Cada tribo tem suas gírias e seu modo de falar. E no surf não é diferente. Com um dialeto bem específico, às vezes é difícil quem está de fora entender. E para quem é surfista, também fica bem fácil distinguir quem está aprendendo.

Como o surf foi difundido pelo mundo por países que falam a língua inglesa, como Estados Unidos, Hawaii, e Austrália, muitas palavras ficaram conhecidas em inglês e continuam sendo usadas assim. Como swell para ondulação, frontside, backside, grab, entre outras…

Em destaque: Gabriel Medina. Foto: Renato Tinoco (Também confira o portfólio do fotógrafo, AQUI)

Separamos algumas frases e gírias para você ficar por dentro de como falam os surfistas. Será que você está por dentro ou está precisando se aprofundar no dialeto?!

Entenda o dialeto do surf. Foto: Zack Noyle/Red Bull Content Pool.

“O mar estava um azeite”

Quando falamos assim não quer dizer que o mar estava cheio de óleo! Muito pelo contrário. O mar estava um azeite é porque ele estava muito bom! Tem a ver com a textura do azeite. Liso, perfeito, sem nenhum ventinho para atrapalhar. Seria a tradução mais perfeita para ‘glassy’.

Onda buraco e mar azeite, tudo numa só. Foto: Tim Mckenna/Red Bull Content Pool.

 “Estava uma buraqueira, só vaca sinistra!”

Buraqueira é quando as ondas estão ‘buraco’. Tipo, beeem cavadas, cilíndricas… A rampa para você dropar – descer – não é suave. Ela é bem íngreme mesmo. E essas são bem mais difíceis de serem surfadas. E vaca, não é o animal não! Vaca é o sinônimo de caldo de surfista. E sinistro, é sinistro mesmo!

O fôlego tem que estar em dia para aguentar um caldo sinistro.  Foto: Igor Hossmann.

“Estava um crowd sinistro… só prego”

Crowd é a palavra em inglês para cheio de gente, lotado. Então, quando o pico está crowd, ou crowdeado, é quando está cheio de gente. Quando tem mais gente do que ondas a oferecer. E se estava cheio de pregos é porque só tinha cara ruim. Prego pode ser cara que surfa mal, que não é do pico, quem está aprendendo… Mas num sentindo pejorativo.

Crowd sinistro! Foto: Annibal.

“Entubou grebando de back”

Essa já é mais avançada. Grebando é a maneira abrasileirada de dizer que o cara estava “grabbing”, ou seja, na tradução livre, segurando sua prancha. E a expressão ‘de back’ quer dizer que o cara estava de backside, ou seja, surfando de costas para a onda. Então a frase traduzida ficaria: Pegou um tubo segurando a prancha de costas para a onda. Mas você nunca vai ouvir um surfista falando assim!

Tubo ‘grebando’ de back. Foto: Tim Mckenna/Red Bull Content Pool.

Tá curioso para saber mais frases e gírias, então confira AQUI!