A TÁTICA DE JADSON ANDRÉ PARA SAQUAREMA E FIJI

O potiguar Jadson André fecha com novo técnico Danilo Costa, ex-surfista que esteve na elite do surf em 2003, para o auxiliar nas próximas etapas do Tour.

Jadson André não começou a temporada 2017 do Circuito Mundial como gostaria. Na primeira parada do Tour, na Gold Coast, ele parou na terceira fase da etapa. Já em Margaret River e Bells Beach, etapas seguintes da perna australiana, o potiguar não passou da segunda rodada. Mas apesar do começo ruim, Jadson segue confiante para o restante do ano. (Em destaque: Jadson ano passado durante a etapa de Fiji, uma das suas preferidas. Foto: Cestari/WSL)

O potiguar não começou 2017 como gostaria, mas está otimista para o restante do ano. Na última etapa em Bells Beach. Foto:Sloane/WSL.

Agora, enquanto espera a chegada da etapa brasileira nas ondas de  Saquarema, Rio de Janeiro, Jadson planeja mudanças para tentar conseguir o título em casa e, em seguida, ter uma boa participação em Fiji. Sua expectativa de se sagrar campeão no Brasil vem da campanha que fez em 2010, quando venceu Kelly Slater em Imbituba, Santa Catarina, e conquistou seu único título na WSL. E, com Ítalo Ferreira de fora por causa de uma lesão sofrida na Gold Coast, Jadson será o único potiguar a participar da etapa.

Durante a entrevista ao Globo Esporte RN nesta terça-feira Foto: Reprodução.

“A perna australiana não começou da forma que eu queria, mas as coisas estão mudando. Estou em um processo de mudança na minha vida pessoal e profissional. A notícia boa é que eu vou trabalhar com Danilo Costa, que já esteve na elite mundial e agora é o meu técnico, e com Rafael Abreu, meu novo empresário. Estou vivendo um momento muito bom e estou bem ansioso, pensando positivo. Acredito que nas próximas etapas eu posso sair com bons resultados, principalmente nas etapas do Rio e Fiji, que são as que eu gosto mais. Dá para representar o Brasil e o Ítalo, que ainda está de molho”, contou Jadson,numa entrevista nesta terça-feira entrevista ao Globo Esporte RN.

Durante o Oi Rio Pro, etapa brasileira do Circuito ano passado. Foto: Cestari/WSL.

VETERANO NO CIRCUITO MUNDIAL

Hoje, aos 27 anos, Jadson André faz parte da elite desde 2010, podendo ser considerado um dos “veteranos” do Circuito Mundial. Durante todo esse período, o potiguar viu o nível de competitividade subir muito e diz que é preciso estar atento a todos os detalhes para se manter entre os melhores, principalmente com a força da nova geração.

“Hoje no surf a tática é a coisa que mais vai fazer você vencer uma bateria ou perder, porque é todo mundo muito igual. O nível está muito parecido e é um pequeno detalhe que faz a diferença. Eu acredito que com o meu novo técnico, que já foi atleta de elite e venceu vários eventos durante sua carreira, já fez 10 no Tahiti, tem uma bagagem grande. Vai ser a primeira vez que eu vou trabalhar com um técnico que já competiu e acho que isso pode fazer a diferença”, finalizou o potiguar.

Confira aqui também uma entrevista exclusiva com Jadson André na Surfar #52, onde o potiguar fala sobre a saga para se manter no WCT em 2017.

Fonte:globoesporte.globo.com