Andy Criere brilha no Arica Pro

A sexta-feira amanheceu com boas ondas de 3-5 pés em El Gringo, mas o vento apertou ainda pela manhã afetando diretamente a qualidade das ondas e a terceira fase do QS 1500 Maui and Sons Arica Pro Tour acabou sendo paralisada após a quarta bateria do dia no Chile. Entre os dezesseis surfistas que enfrentaram as condições difíceis do mar, o francês Andy Criére fez os recordes do dia com 16,40 pontos surfando um tubaço nota 9,5. Nesta bateria, o líder no ranking regional da WSL South America, Robson Santos, cometeu interferência no minuto final e foi eliminado em 17.o lugar no QS 1500 de Arica. Os chilenos também brilharam com os três que competiram passando para a rodada classificatória para as quartas de final. A terceira fase recomeça no sábado, com a primeira chamada para a quinta bateria marcada para as 8h00 em Ex Isla Alacrán, no Chile.

“Hoje (sexta-feira) de manhã as ondas estavam um pouco melhores do que ontem, mas já dava pra ver que haveria muita luta na água e que as baterias seriam muito disputadas, então eu entrei no mar já pensando em pegar pelo menos uma onda boa”, contou o francês Andy Criére. “Ficou uma briga ali pelo posicionamento, o que é normal porque todo mundo quer ganhar, então optei por me afastar um pouco para o lado direito do pico e foi ali que peguei minhas ondas pra vencer. Mas, só quando eu saí daquele tubo nota 9,5 foi que fiquei mais tranquilo. A disputa pelo segundo lugar foi grande, tiveram algumas interferências e estou feliz por ter passado em primeiro para a próxima fase”.

O francês não conhecia El Gringo, nem o Chile, e gostou bastante do que viu. “Sim, é a minha primeira vez aqui no Chile e eu gostei muito de Arica. Eu vim para cá uns três dias antes do campeonato quando o mar estava grande. A onda aqui tem muita força, com boa formação para tubos e é um lugar muito interessante para surfar. A gente só precisa saber respeitar o perigo de El Gringo e eu sempre respeito muito o mar. As condições mudam muito rápido, então tem que estar sempre atento e saber tomar a decisão certa quando a onda vem”.

O francês Andy Criere, destaque do dia.

O francês Andy Criere, destaque do dia. Crédito: Pablo Jimenez.

A briga pelo posicionamento no pico foi intensa em todas as baterias e nessa os dois competidores que disputavam a segunda vaga cometeram interferências na disputa pelas ondas bem próxima da perigosa bancada de El Gringo. O chileno Cristian Merello já estava com a penalidade e Robson Santos se classificava em segundo até o último minuto, quando também errou na batalha para defender sua posição e acabou sendo eliminado. Isto porque o chileno tinha uma nota mais alta, 7,50 contra 6,75 do brasileiro, para somar com metade da segunda nota computada. Com isso, o placar entre eles ficou em 8,07 a 7,95 pontos e o também paulista Wesley Leite quase não pegou ondas, terminando em último com apenas 4,50 pontos.

Com a derrota em 17.o lugar no Maui and Sons Arica Pro Tour, Robson Santos pode perder a liderança no ranking que vai apontar o campeão regional da WSL South America para o também brasileiro Lucas Silveira. O carioca ia competir na bateria que acabou sendo adiada para abrir o sábado, às 8h00 no Chile. Será um confronto direto entre Brasil e Peru, com o pernambucano Paulo Moura completando a dupla verde-amarela contra Miguel Tudela e Lucca Mesinas Novaro.

VITÓRIA BRASILEIRA

Na sexta-feira, o brasileiro Lucas Chianca sozinho derrotou três peruanos no primeiro confronto do dia. Na disputa pela segunda vaga, Sebastian Correa superou o campeão do Maui and Sons Arica Pro Tour em 2013, Alvaro Malpartida, e Joaquin Del Castillo. No entanto, essa foi a única vitória do Brasil nas quatro baterias disputadas. O catarinense Yago Dora foi barrado na dobradinha chilena de Nicolas Vargas com Manuel Selman, os paulistas Robson Santos e Wesley Leite foram eliminados por Andy Criére e Cristian Merello e na última do dia Luan Wood ganhou uma briga catarinense com Alcides Lopes para passar em segundo na bateria vencida pelo havaiano Kevin Sullivan.

Lucas 'Chumbinho' sempre à vontade nos tubos.

Lucas ‘Chumbinho’ sempre à vontade nos tubos. Crédito: Pablo Jimenez.

“A bateria foi animal, demorou um pouco para vir ondas no início, mas depois todos pegaram boas ondas”, disse Lucas Chianca, que ainda é o recordista absoluto do Maui and Sons Arica Pro Tour com o tubaço nota 9,75 e os 17,25 pontos que totalizou em sua estreia na quarta-feira. “Eu demorei um pouco para pegar ondas, depois vim pro canal da esquerda e fiz a maior nota da bateria (8,5) pra vencer, mas ela foi bem disputada porque todo mundo queria passar. Essa é a terceira vez que eu venho para Arica, eu amo essa onda, mesmo que não tenha campeonato eu venho aqui pra treinar e a onda é demais, é um Pipeline (Hawaii) dos pobres (risos) muito bom”.

CHILENOS BRILHAM

Diferente dos brasileiros, os chilenos brilharam em casa e os três que competiram na sexta-feira avançaram para a rodada classificatória para as quartas de final do Maui and Sons Arica Pro Tour. Cristian Merello ganhou de graça a vaga que já estava perdida, com a interferência de Robson Santos no minuto final da bateria. E antes dele, Nicolas Vargas e Manuel Selman tinham acabado de festejar uma dobradinha chilena sobre o brasileiro Yago Dora e o havaiano Kiron Jabour. Ambos surfaram um bom tubo na casa dos 8 pontos e Nicolas ficou em primeiro com 11,25 pontos, contra 11,05 do Manuel.

“Estou muito feliz de competir de novo neste evento, pois é um campeonato muito importante para todos os chilenos. E mais feliz ainda por ter vencido a bateria hoje (sexta-feira)”, disse Nicolas Vargas. “Eu peguei um tubaço incrível nota 8,50 e consegui manter uma boa vantagem sobre os adversários. Hoje as ondas estavam muito pequenas, o pico ficou apertado com todos juntos, tiveram algumas interferências por causa disso e a gente espera que as ondas melhorem para amanhã. A condição do mar não era a que se esperava em El Gringo e é uma pena estar assim, pois grandes competidores de outros países vieram para cá para pegar tubos, mas competição é assim mesmo”.

CHILE X BRASIL

O havaiano Kevin Sullivan está garantido na próxima fase.

O havaiano Kevin Sullivan está garantido na próxima fase. Crédito: Pablo Jimenez.

Os resultados da sexta-feira já formaram os dois primeiros confrontos da rodada que vai valer classificação para as quartas de final do Maui and Sons Arica Pro Tour. A disputa pelas duas primeiras vagas será uma batalha direta entre Chile e Brasil, com os donos da casa, Nicolas Vargas e Cristian Merello, enfrentando o ainda recordista absoluto do campeonato, Lucas Chianca, e o vice-campeão sul-americano Pro Junior de 2015, Luan Wood. Já a segunda bateria será um confronto internacional, entre o francês Andy Criére, o havaiano Kevin Sullivan, o chileno Manuel Selman e o peruano Sebastian Correa.

Já as baterias que ficaram para fechar a terceira fase na manhã do sábado envolverão dezesseis competidores de nove países. A primeira do dia será entre os brasileiros Paulo Moura e Lucas Silveira e os peruanos Miguel Tudela e Lucca Mesinas. Na segunda, o brasileiro Jeronimo Vargas e o australiano Max Longhurst enfrentam os havaianos Eala Stewart e Travis Beckmann. Na seguinte, entram o chileno Guillermo Satt, o argentino Nahuel Amalfitano, o norte-americano Jacob Szekely e o francês Dimitri Ouvre representando São Bartolomeu. E na última estão o chileno Leon Vicuña, o peruano Alonso Correa, o francês Paul Cesar Distinguin e o brasileiro João Chianca.

O Maui and Sons Arica Pro Tour está sendo transmitido ao vivo pelo http://www.mauiandsons.cl/aricaprotour2015/ e a primeira chamada do sábado foi marcada para as 8h00 no Chile.

QUARTA FASE DO QS 1500 MAUI AND SONS ARICA PRO TOUR – baterias já formadas:
——–1.o e 2.o=Quartas de Final / 3.o=9.o lugar (US$ 900 e 450 pontos) e 4.o=13.o lugar (US$ 800 e 420 pts):
1.a: Lucas Chianca (BRA), Cristian Merello (CHL), Nicolas Vargas (CHL), Luan Wood (BRA)
2.a: Andy Criére (FRA), Sebastian Correa (PER), Kevin Sullivan (HAW), Manuel Selman (CHL)

TERCEIRA FASE – 3.o=17.o lugar (US$ 700 e 300 pontos) e 4.o=25.o lugar (US$ 600 e 280 pts):
————–resultados da sexta-feira:
1.a: 1-Lucas Chianca (BRA)=13.00, 2-Sebastian Correa (PER)=9.75, 3-Alvaro Malpartida (PER)=9.70, 4-Joaquin Del Castillo (PER)=7.95
2.a: 1-Nicolas Vargas (CHL)=11.25, 2-Manuel Selman (CHL)=11.05, 3-Yago Dora (BRA)=9.25, 4-Kiron Jabour (HAW)=7.00
3.a: 1-Andy Criere (FRA)=16.40, 2-Cristian Merello (CHL)=8.07, 3-Robson Santos (BRA)=7.95, 4-Wesley Leite (BRA)=4.50
4.a: 1-Kevin Sullivan (HAW)=10.40, 2-Luan Wood (BRA)=6.60, 3-Alcides Lopes (BRA)=3.55, 4-Johnny Noris (EUA)=2.55
————–ficaram para abrir o sábado:
5.a: Miguel Tudela (PER), Paulo Moura (BRA), Lucas Silveira (BRA), Lucca Mesinas Novaro (PER)
6.a: Jeronimo Vargas (BRA), Eala Stewart (HAW), Max Longhurst (AUS), Travis Beckmann (HAW)
7.a: Dimitri Ouvre (BLM), Guillermo Satt (CHL), Nahuel Amalfitano (ARG), Jacob Szekely (EUA)
8.a: Alonso Correa (PER), João Chianca (BRA), Paul Cesar Distinguin (FRA), Leon Vicuña (CHL)