Gabriel Medina não deu nem chances ao sul-africano Jordy Smith na primeira bateria do dia (16/12) aplicando uma combination no adversário. Às 8h da manhã no Hawaii, Medina já estava ligado em 220v. Pegou várias ondas sempre dropando no limite, o que agradou muito aos juízes. Com sua ótima técnica de tubo, ele ainda mostrou uma excelente leitura do mar em condições mexidas e, mesmo sem a prioridade, fez o 8.17 e o 7.67 que lhe deram a vitória na bateria. O brasileiro mantém vivo o sonho do bicampeonato mundial e agora precisa secar os rivais.

“Me senti bem, consegui avançar, as ondas estavam boas. Espero que eu consiga continuar assim. Consegui uma onda bem forte, poderosa, tinha um bom tamanho”, disse Medina.

Assista ao vivo a briga pelo título mundial 2015 clicando aqui. A primeira chamada da quinta-feira será as 7h30 no Hawaii, 15h30 pelo fuso horário de Brasília.

 

Veja a galeria do melhor dia do Billabong Pipe Masters 2015.

FILIPE TOLEDO FORA DA DISPUTA PELO TÍTULO MUNDIAL

Em uma bateria polêmica, Filipe não conseguiu passar do havaiano Mason Ho e deu adeus ao sonho de ser o melhor surfista do mundo em 2015. Mason entrou disposto a pegar tudo o que viesse, se mantendo ocupado durante toda a bateria com suas sete ondas surfadas. No entanto, isso não resultou em boas notas e Filipe Toledo, que optou por esperar as melhores, liderava por causa de um 4.67. Nos minutos finais do heat, o havaiano chegou à virada com um 5.00 após uma onda menor, porém mais deep que a de Toledo. Assim, precisando de um 2.27, o brasileiro veio de backside e não conseguiu ficar muito profundo no tubo, o que resultou em apenas uma nota 2.00 para a revolta dos brasileiros.

Filipinho realmente não foi bem, mas ficou a sensação de que os scores poderiam ter sido um pouco maiores. Já que apesar de Mason ter ido mais deep, os drops do brasileiro foram mais complicados. Agora, o surfista mais novo do Tour, de apenas 20 anos, se prepara para a temporada do ano que vem. “Foi o melhor ano da minha carreira, briguei pelo título, tive minha chance, mas não aconteceu este ano ainda. Mas acho que estou mais forte a partir de agora. Fica de lição que preciso melhorar em ondas como Pipe, Tahiti e Fiji. Estou muito feliz de ter chegado aqui no Hawaii com a chance de brigar pelo título. Só quero agradecer a todos, está sendo maravilhoso. Quero agradecer a todos que competiram contra mim,” disse Filipinho.

Ricardo Toledo reclamou dos juízes da WSL, segundo o globoesporte.globo.com. “Todo mundo viu que ele foi roubado.” Foto: David Abramvezt/ GE.

Para saber as contas do título mundial e simular resultados, acesse http://surfar.com.br/as-contas-de-mineiro-filipe-e-medina-para-o-titulo/.

MINEIRO FAZ SUA PARTE

Adriano de Souza foi fazendo suas bateria com muita tranquilidade e competência. Como o ótimo competidor que é, soube somar pontos durante a bateria que não tinha prioridade no sistema dual-heat. Enquanto isso, Glenn Hall só foi pegar onda na segunda metade da bateria. Mesmo assim foi bem marcado por Mineiro e não conseguiu uma nota acima da casa dos 2.00 pontos. Portanto, Adriano precisou apenas somar 10 pontos para passar de fase.

“Jamie O’Brien é o cara aqui. Tenho aprendido muito com ele. O Mick é sempre muito constante também. As pessoas tem falado muito. Estou me concentrado só no surf e espero me sair bem, com o título”, explicou Mineiro.

Adriano de Souza. Foto: Masurel/ WSL.

SHOW NO ROUND 4

Precisando ser campeão do Pipe Masters para ter chances de conquistar o bicampeonato mundial, Medina segue impecável nas ondas de Pipeline. Gabriel fez parecer fácil entubar em Pipeline e tirou um 9.30 com muita habilidade. Sempre um dos favoritos em ondas tubulares, é bem possível que ele leve o título e a Tríplice Coroa Havaiana, no entanto, precisa que Mick Fanning não passe das quartas de final e o Adriano da semifinal.

“Não estou me sentindo pressionado pela briga pelo título. Eles têm mais chances do que eu. Gosto de surfar essa onda, estou animado. Quero continuar focado em mim. Se for para acontecer, vai acontecer. Me sinto relaxado. Agradecido por ter chegado até aqui depois do meu início de ano. Estou feliz”, falou Medina.

Na sequência rolou uma das melhores baterias de 2015. Todos aguardavam o super confronto, chamado de #SuperHeat pela WSL, entre Kelly Slater, Mick Fanning e John John Florence. A expectativa foi correspondida com vários high scores. Os brasileiros estavam esperançosos em ver Mick Fanning enfrentar um perigoso Round 5 após uma bateria tão complicada. Entretanto, o “homem de gelo” Fanning passou por mais esse grande desafio e saiu ainda com mais moral para as quartas de final, que será disputada amanhã.

Mick Fanning. Foto: Masurel/ WSL.

Depois do #SuperHeat, uma bateria para respirar, ir ao banheiro e tomar uma água, já que não tinha nenhum concorrente ao título mundial. Mas quem fez isso perdeu o espetáculo que Mason Ho deu com seu pranchão, incluindo uma nota 10 em Pipeline.

Logo depois, voltaram as emoções com Adriano de Souza na água. Mineiro já provou no início da bateria que os resultados ruins no Pipe Masters fazem parte do passado. Mais uma vez passando a temporada na casa de Jamie O’Brien, o brasileiro está cada vez mais confortável na Rainha do North Shore. Começou com duas boas ondas e somou 13.67 pontos, que lhe renderam a classificação para as quartas de final. Apesar do início tranquilo, o heat ficou tenso no final com Josh Kerr se aproximando e quase virando após um 8.40. Porém, o australiano não conseguiu um 5.27 para conquistar a liderança da bateria.

“Queria agradecer ao meu treinador, o Grillo, que me ajuda a me acalmar nos tempos difíceis, me manda energias positivas. Estou muito feliz pela oportunidade de estar na briga pelo título mundial. Vi a bateria do Mick contra o Kelly e o John John, foi a melhor bateria do ano! Este está sendo um dos dias mais felizes da minha vida. Sempre sonhei em pegar essas ondas gigantes aqui em Pipeline”, disse Adriano.

Adriano de Souza. Foto: Kirstin/ WSL.

VAI KELLY

Os brasileiros ganharam de última hora um reforço de peso na disputa pelo topo do ranking. Trata-se do dono de 11x títulos mundias e o maior vencedor de Pipe Masters, Kelly Slater, que após um ótimo Round 5 vai enfrentar Mick Fanning nas quartas de final. Mr. Slater está sedento para levantar um troféu de uma etapa após duas temporadas sem conquistas e já avisou “Eu quero vencer o Pipe Masters”. #VaiKelly

Kelly Slater. Foto: Cestari/ WSL.

Confira a matéria completa com tudo que rolou ontem no Billabong Pipe Masters aqui.

A DISPUTA DO TÍTULO MUNDIAL ATUALIZADA APÓS A QUINTA FASE:

CAMPEÃO NAS QUARTAS DE FINAL – SÓ MICK FANNING:
* Mick Fanning atingiu 53.350 pontos e será o campeão se Adriano de Souza não passar para as semifinais e se Gabriel Medina não vencer o campeonato

CAMPEÃO NAS SEMIFINAIS – FANNING E ADRIANO:
* Mick Fanning atinge 54.650 pontos, tira Medina da briga do título e será o campeão se Adriano não passar para a grande final
* Adriano de Souza atinge 54.200 pontos, tira Medina da briga do título e será o campeão se Fanning não for um dos semifinalistas

CAMPEÃO NA GRANDE FINAL – FANNING E ADRIANO:
– Mick Fanning atinge 56.150 pontos e será o campeão se Adriano não vencer o campeonato
– Adriano de Souza atinge 55.700 pontos e será o campeão se Fanning não vencer o campeonato

CAMPEÃO MUNDIAL COM VITÓRIA NO PIPE MASTERS:
– Mick Fanning será o campeão mundial se vencer o campeonato contra qualquer finalista
– Adriano de Souza será o campeão mundial se vencer o campeonato contra qualquer finalista
– Gabriel Medina será bicampeão se Fanning e Adriano não tiverem passado para as semifinais

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 5.200 pontos e US$ 15.000:
1.a: Gabriel Medina (BRA) x C. J. Hobgood (EUA)
2.a: Mick Fanning (AUS) x Kelly Slater (EUA)
3.a: Adam Melling (AUS) x Mason Ho (HAW)
4.a: Adriano de Souza (BRA) x vencedor da 4.a bateria da Quinta Fase

QUINTA FASE – Vitória=Quartas de Final / Derrota=9.o lugar com 4.000 pontos e US$ 12.750:
1.a: C. J. Hobgood (EUA) 13.34 x 9.76 John John Florence (HAW)
2.a: Kelly Slater (EUA) 17.07 x 9.77 Keanu Asing (HAW)
3.a: Adam Melling (AUS) 5.17 x 4.20 Joel Parkinson (AUS)
———–ficou para abrir a quinta-feira:
4.a: Josh Kerr (AUS) x Jeremy Flores (FRA)

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final / 2.o e 3.o=Quinta Fase:
1.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=15.30, 2-C. J. Hobgood (EUA)=5.47, 3-Keanu Asing (HAW)=4.27
2.a: 1-Mick Fanning (AUS)=17.30, 2-Kelly Slater (EUA)=16.47, 3-John John Florence (HAW)=15.16
3.a: 1-Mason Ho (HAW)=16.23, 2-Joel Parkinson (AUS)=15.03, 3-Jeremy Flores (FRA)=10.24
4.a: 1-Adriano de Souza (BRA)=13.67, 2-Josh Kerr (AUS)=12.13, 3-Adam Melling (AUS)=1.43

TERCEIRA FASE – Derrota=13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 10.500 de prêmio:
1.a: Gabriel Medina (BRA) 15.84 x 4.50 Jordy Smith (AFR)
2.a: Keanu Asing (HAW) 5.00 x 0.17 Bede Durbidge (AUS)
3.a: C. J. Hobgood (EUA) 6.74 x 4.57 Italo Ferreira (BRA)
4.a: Kelly Slater (EUA) 13.43 x 7.00 Michel Bourez (TAH)
5.a: Mick Fanning (AUS) 12.14 x 2.70 Jamie O´Brien (HAW)
6.a: John John Florence (HAW) 19.26 x 1.83 Taj Burrow (AUS)
7.a: Mason Ho (HAW) 6.93 x 6.67 Filipe Toledo (BRA)
8.a: Joel Parkinson (AUS) 10.86 x 5.40 Kai Otton (AUS)
9.a: Jeremy Flores (FRA) 14.44 x 14.23 Sebastian Zietz (HAW)
10: Adam Melling (AUS) 15.73 x 15.16 Julian Wilson (AUS)
11: Josh Kerr (AUS) 7.67 x 3.20 Adrian Buchan (AUS)
12: Adriano de Souza (BRA) 10.00 x 4.70 Glenn Hall (IRL)