Dois australianos cancelam suas participações na etapa carioca da World Surf League e Bino Lopes ganha uma vaga sem precisar da triagem. Já Mineirinho agora estreia numa bateria brasileira em Grumari.

O atual campeão brasileiro Bino Lopes está garantindo no WSL. Foto: Luca Castro.

Algumas estrelas do surf mundial já estão surfando nas praias cariocas, mas a maioria chega neste fim de semana para disputar o Oi Rio Pro apresentado por Corona, que começa na terça-feira e vai até 21 de maio no Rio de Janeiro. Uma delas é Adriano de Souza, que vai estrear no Brasil depois da emocionante conquista do título mundial no HaWAII em dezembro. E pela primeira vez, também, a etapa brasileira do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour será disputada nas ondas do Parque Natural Municipal do Grumari, numa das praias mais bonitas e preservadas da capital carioca.

Mineirinho desembarca no Rio de Janeiro neste domingo e gostou da mudança da sede principal do Oi Rio Pro do Postinho da Barra da Tijuca para Grumari. Já os australianos Joel Parkinson e Kai Otton alegaram motivos pessoais para cancelar na sexta-feira suas participações. Com suas saídas, as baterias foram modificadas e a primeira de Adriano agora será 100% brasileira. Ele está confiante na forte preparação que fez em Florianópolis (SC, para tentar repetir a vitória conquistada na Barra da Tijuca lotada em 2011, quando a etapa brasileira da World Surf League retornou ao Rio de Janeiro depois de oito anos em Santa Catarina.

Campeão mundial Adriano de Souza é um dos destaques do Oi Rio Pro. Foto: Masurel/WSL.

“Eu chego no Rio no domingo, pois antes participarei da Wings For Life, corrida beneficiente da Red Bull . Já surfei em Grumari algumas vezes. É um lugar lindo, cheio de natureza, com boas ondas. No ano passado, encontrei outros surfistas por lá treinando, inclusive. Ma, foi uma pena a ressaca no Postinho. Isso fará com que a torcida não esteja tão em peso como no ano passado, mas acredito que será um grande evento em Grumari”, disse Adriano de Souza, paulista do Guarujá que atualmente mora em Florianópolis (SC).

No ano passado, Mineiro competiu no Oi Rio Pro com a lycra amarela do Jeep WSL Leader, que desta vez está com o australiano Matt Wilkinson, vencedor das duas primeiras etapas da temporada na Austrália. O brasileiro não conseguiu repetir a ótima campanha e chega no Rio de Janeiro em 13.o lugar no ranking, pois perdeu na terceira fase nas duas provas que tinha sido finalista em 2015, em Bells Beach e Margaret River. Por isso, o defensor do título mundial intensificou a preparação para entrar na briga pelo bicampeonato no Rio de Janeiro.

Adriano de Souza volta ao Rio de Janeiro em busca o título da etapa carioca. Foto: Cestari/WSL.

“Vem sendo um início de ano atípico, com muita gente boa tendo resultados modestos. Eu cheguei no Brasil logo após o evento de Margaret River e me internei em Florianópolis para cuidar de tudo. Da cabeça, do corpo e do surf. Treinei muito, aperfeiçoei muito meu condicionamento físico e trabalhei para conseguir conter a ansiedade”, destacou Adriano.

Mineirinho também falou sobre a expectativa de estrear no Brasil como o atual campeão mundial da World Surf League: “Apesar de já ter sido campeão mundial e vencedor da etapa do Rio, dá um frio na barriga sempre. Não adianta tentar esconder. E eu aguardo toda a galera lá em Grumari para ver a gente representar nossa bandeira. Vou fazer de tudo para repetir minha vitória e iniciar minha reação no campeonato. A presença de vocês é muito importante para a gente.”

Mineirinho estava escalado para estrear no Oi Rio Pro junto com o australiano Davey Cathels, mas, com as mudanças provocadas pelos cancelamentos de Joel Parkinson e Kai Otton, sua primeira bateria em Grumari agora será 100% brasileira, contra o amigo potiguar Jadson André e o vencedor da triagem organizada pela Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro (FESERJ), que será disputada na próxima segunda-feira na Praia de Grumari. Serão dezesseis surfistas brigando pela vaga que falta para completar o grupo dos 36 concorrentes ao prêmio de 100 mil dólares do título na etapa brasileira do Samsung Galaxy WSL Championship Tour.

Atual campeão de etapa brasileira do WCT, Filipe Toledo está de volta após lesão. Foto: Kirstin/WSL.

BATERIAS MODIFICADAS - Nesta sexta-feira, os australianos Joel Parkinson e Kai Otton alegaram motivos pessoais para cancelar suas participações no Oi Rio Pro. O atual campeão brasileiro, Bino Lopes, que estava escalado na primeira bateria da triagem, foi chamado pela World Surf League para entrar direto no evento principal por ter vencido a etapa do QS 1500 Praia do Forte Pro apresentada pela Oi na Bahia, encerrada no domingo. E o baiano vai enfrentar o dono da lycra amarela do Jeep WSL Leader, Matt Wilkinson, na quinta das doze baterias da primeira fase, que foram modificadas com as saídas de dois tops da elite.

Alex Ribeiro saiu da terceira e foi para a primeira, encabeçada pelo defensor do título do Oi Rio Pro, Filipe Toledo, com outro vencedor da etapa brasileira no Postinho da Barra, o taitiano Michel Bourez, completando este primeiro confronto nas ondas de Grumari. No segundo, Gabriel Medina enfrenta o norte-americano Kanoa Igarashi e o havaiano Dusty Payne, chamado junto com Bino Lopes para substituir os desistentes Parkinson e Otton.

Alex Ribeiro chega ao Brasil em busca de um resultado bom no WCT. Foto: Cestari/WSL.

Na quarta bateria, Italo Ferreira também terá dois novos adversários, o australiano Davey Cathels, que estava com Adriano de Souza, e Deivid Silva, convidado da World Surf League para o Oi Rio Pro . Os dois já foram concorrentes diretos na categoria Pro Junior, mas Italo agora é o brasileiro mais bem colocado no ranking mundial da temporada, em terceiro lugar com duas semifinais consecutivas na perna australiana. Com a saída de Kai Otton da quinta bateria, o líder Matt Wilkinson agora vai estrear contra dois brasileiros, Miguel Pupo e Bino Lopes.

Já o confronto seguinte será 100% verde-amarelo com as mudanças, pois Jadson André saiu da penúltima para a encabeçada pelo campeão mundial Adriano de Souza e o terceiro componente sairá da triagem. Depois tem mais uma com participação dupla do Brasil, com Wiggolly Dantas e Alejo Muniz disputando uma vaga direta para a terceira fase com o norte-americano Kolohe Andino. E Caio Ibelli passou a ser o cabeça de chave da última bateria, completada pelos havaianos John John Florence e Keanu Asing.

O Oi Rio Pro será transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com.

OI RIO PRO – Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase:

1.a: Filipe Toledo (BRA), Michel Bourez (TAH), Alex Ribeiro (BRA)
2.a: Gabriel Medina (BRA), Kanoa Igarashi (EUA), Dusty Payne (HAW)
3.a: Julian Wilson (AUS), Stu Kennedy (AUS), Leonardo Fioravanti (ITA)
4.a: Italo Ferreira (BRA), Davey Cathels (AUS), Deivid Silva (BRA)
5.a: Matt Wilkinson (AUS), Miguel Pupo (BRA), Bino Lopes (BRA)
6.a: Adriano de Souza (BRA), Jadson André (BRA), vencedor da triagem
7.a: Nat Young (EUA), Conner Coffin (EUA), Jack Freestone (AUS)
8.a: Jordy Smith (AFR), Josh Kerr (AUS), Adam Melling (AUS)
9.a: Jeremy Flores (FRA), Kelly Slater (EUA), Ryan Callinan (AUS)
10: Kolohe Andino (EUA),Wiggolly Dantas (BRA), Alejo Muniz (BRA)
11: Sebastian Zietz (HAW), Adrian Buchan (AUS), Matt Banting (AUS)
12: Caio Ibelli (BRA), John John Florence (HAW), Keanu Asing (HAW)