ELITE DO SURF MUNDIAL VOLTA À AÇÃO NESTA SEXTA-FEIRA

Mais novo esporte olímpico retoma atividades nesta sexta-feira com a sétima etapa do WCT nas ondas de Teahupoo, dando início à metade final do campeonato de 2016.

As ondas de Teahupoo serão palco da próxima etapa do Circuito Mundial. Foto: Cestari/WSL.

Os Jogos Olímpicos já estão chegando ao fim e uma das novidades para a edição de 2020 farão com que as emoções vividas nas últimas semanas no Rio de Janeiro se prolonguem mais um pouco. A partir de amanhã, sexta-feira (19/08) o Mundial de Surf retoma suas atividades com a tradicionalíssima etapa de Teahupoo, no Tahiti.

Adriano de Souza em ação na etapa do ano passado. Foto: Cestari/WSL.

Foto: Divulgação WSL.

E em busca de um bom resultado na competição, os surfistas “se internaram” nos treinos visando à reta final da temporada. Agora restam cinco etapas e qualquer vacilo pode eliminar suas chances, seja de título, como no caso de Adriano de Souza; ou pelo posto de estreante do ano, como é a situação de Caio Ibelli.

“Agora o funil começa a fechar”, fala Adriano, que ocupa a quarta posição no ranking com 24.400 pontos, 9.850 atrás do líder Matt Wilkinson, o nome a ser batido neste ano. Já Ibelli está em 12º com 19.450 pontos, mas com uma boa vantagem para o estreante mais próximo, Conner Coffin. “Consegui ter uma boa sequência no começo do ano e espero repeti-la agora enquanto aprendo mais sobre os picos”, diz o atual campeão do WQS, a divisão de acesso.

Cada um está fazendo um tipo de preparação para a etapa do Tahiti. Mineiro, atual campeão mundial, disputou o US Open de Surf,  chegando às semifinais, depois se mandou para pegar um swell na Indonésia, voltou aos EUA para pegar a bagagem e partiu rumo ao Tahiti há algum tempo para preparar corpo e mente. “Aqui é um bom lugar para botar a cabeça no lugar. É tranquilo e dá para desligar do mundo. No ano passado fiz a mesma coisa e foi muito bom. Agora repeti isso e estou recarregado para a sequência do campeonato”, conta.

Caio Ibelli está treinando bastante para conseguir um bom resultado no Tahiti. Foto: Divulgação WSL.

Caio também disputou o US Open e seguiu treinando nos EUA, já que mora na Califórnia, mas também foi cedo para o Tahiti para curtir cada pedacinho de Teahupoo. “É a primeira vez que vou competir lá. Acho um lugar de sonho. Tenho treinado bastante, pois já acompanhei vários campeonatos aqui com ondas lindas e gigantes. Pena que a previsão será de ondas não tão grandes, mas será divertido”, diz.

Como o fuso do Tahiti é sete horas a menos em relação ao do Brasil, as chamadas acontecerão a partir das 14h30 de Brasília. Adriano de Souza está na terceira bateria, enquanto Caio Ibelli entra na 11ª. Tudo será exibido ao vivo no site oficial do campeonato em worldsurfleague.com

CONFIRA AS BATERIAS DA PRIMEIRA RODADA