Durante a abertura do Circuito Medina/ASM 2016 neste fim de semana, Gabriel Medina concedeu entrevista para falar sobre sua recente vitória em Fiji, a expectativa para a conquista do bicampeonato mundial, a etapa em Jeffreys, além do próprio circuito e da criação de seu instituto, para ajudar na formação de novos valores nas ondas. Junto com o pai e técnico, Charles, e como espectadores seus irmãos Felipe e Sophia, ele demonstrou muita confiança nas futuras conquistas. “A vitória em Fiji foi muito importante, me deu bastante confiança para o resto do ano. Estou muito feliz e agora é hora de treinar, focar. Estou confiante, tem boas etapas vindo por aí e vamos com tudo para Jeffreys”, disse o primeiro brasileiro campeão mundial. E acrescentou: “Cobrança sempre vai existir, mesmo se estiver perdendo, e vou continuar competindo buscando a vitória.” (Foto em destaque: Ed Sloane/WSL)

Foto: Jorge Mesquita.

Medina também foi abordado sobre o ataque de tubarão na etapa de Jeffreys no ano passado e conta:“Não tem como não pensar. A imagem do Mick  quase sendo atacado foi chocante. Não sei como colocaram de volta. Meu voto foi não. Espero que ocorra tudo bem. Me falaram que terá um sensor, não sei se espanta o tubarão ou avisa sobre o tubarão. Não tem muito o que fazer.” Independente de tubarão no mar, Gabriel levanta outra dificuldade para a etapa de J-Bay. “É uma onda difícil de surfar especialmente para backside. Eu surfo de costas. Mas nada é impossível, estou indo concentrado. Tive dois quintos lugares e agora quero passar das quartas, porque será importante para o final do ano”, disse.

Diante do cenário, Gabriel explica como controlar a ansiedade: “Sou muito ansioso, só controlo na água, surfando”, contou o vice-líder do ranking mundial, que também não esconde a aflição quando a irmã caçula Sophia compete. “Fico nervoso, tem horas que quero entrar no mar. Difícil. Fico feliz por ela estar seguindo os meus passos, mas por iniciativa dela. Foi algo que nunca forçamos. Ela quis. E vamos dar apoio. Estou empolgado com o Circuito, feliz de incentivar não só a minha irmã, mas a molecada em geral. O Circuito vai ser legal, inspirar os moleques a se esforçarem, dar seu máximo. Eu comecei nele”, contou.

Sophia Medina já está seguindo os passos do irmão campeão mundial: Foto: Jorge Mesquita.

Com relação à criação do instituto, Gabriel  falou:“Me sinto orgulhoso! Estou devolvendo um pouco do que o surf me deu. Quero dar oportunidade e buscar o melhor de cada moleque. Talvez alguns não saibam que tenham esse dom. quero estar presente, dividir um pouco da minha experiente no dia a dia, junto com o meu pai, e ajudando a revelar novos talentos.Eu e meu pai estaremos acompanhando de perto. Quando puder, quero dividir um pouco da minha experiência, conversar. Estaremos no dia a dia e na onda que treinei, surfei, onde passei maior tempo da minha vida.”

Confira o vídeo com a entrevista de Gabriel Medina: