QUIKSILVER GOLD COAST PRO É ADIADO NO 1º DIA DA JANELA DE ESPERA

Próxima chamada para abrir a corrida dos títulos do World Surf League Champioship Tour 2017 será as 7h00 da quarta-feira na Austrália, 18h00 da terça-feira no fuso de Brasília

Felipe Toledo durante a etapa de 2016. Foto: Skipper/WSL.

Os melhores surfistas do mundo já estavam prontos para competir nesta terça-feira, mas as condições do mar não eram favoráveis para a abertura do World Surf League Championship Tour 2017 na Austrália. O início do Quiksilver Pro e do Roxy Pro foram então adiados para aguardar por melhores ondas para dar a largada na corrida dos títulos mundiais da temporada na Gold Coast. As previsões apontam boas condições para os próximos dias e a primeira chamada amanhã, quarta-feira, às 7h00 na Austrália, 18h00 da terça-feira no fuso horário de Brasília.

Os brasileiros vão disputar as primeiras vagas diretas para a terceira fase do Quiksilver Pro Gold Coast. O potiguar Jadson André está escalado na primeira bateria e estrearia em 2017 no dia do seu aniversário. Ele completou 27 anos nesta terça-feira e teve um dia livre para festejar com o adiamento, mas terá que estar cedo na praia na quarta-feira de novo para enfrentar o taitiano Michel Bourez e o americano Conner Coffin, se o campeonato começar. Na disputa seguinte, o pernambucano Ian Gouveia faz a sua primeira bateria como top do WCT. Ele é a única novidade da seleção brasileira esse ano e seu primeiro desafio será contra dois australianos, Stuart Kennedy e o defensor do título do Quiksilver Pro, Matt Wilkinson.

Matt Wilkinson foi o vencedor na temporada passada. Foto: Scholtz/ WSL.

Depois, tem Brasil em dose dupla com o campeão mundial Gabriel Medina e Wiggolly Dantas competindo com outro novato na quarta bateria, Ezekiel Lau, do Havaí. Na quinta, o também paulista Miguel Pupo encara o vice-campeão mundial Jordy Smith, da África do Sul, e o vencedor da triagem na segunda-feira, Nat Young, dos Estados Unidos. Na seguinte, o havaiano John John Florence estreia com a lycra amarela do Jeep WSL Leader contra os australianos Connor O´Leary e o convidado da Quiksilver, Mikey Wright.

Os brasileiros voltam a competir em quatro baterias seguidas. O paulista Caio Ibelli entra na oitava com o australiano Julian Wilson e o italiano Leonardo Fioravanti. Na nona, o potiguar Italo Ferreira enfrenta o campeão mundial Joel Parkinson e o francês Joan Duru. Na décima, tem o vencedor do Quiksilver Pro em 2015, Filipe Toledo, contra o australiano Adrian Buchan e o português Frederico Morais. E na 11.a, o campeão mundial Adriano de Souza fecha a participação brasileira contra mais dois australianos, Josh Kerr e Bede Durbidge.

Troféus da WSL. Foto: Sloane/ WSL.

Se o World Surf League Championship Tour 2017 começar pela categoria feminina, a única representante do Brasil e da América do Sul no grupo das top-17 que vai disputar o título mundial esse ano, Silvana Lima, só compete na quarta das seis baterias da primeira fase. As primeiras adversárias da cearense são a vice-campeã mundial Courtney Conlogue, dos Estados Unidos, e a francesa Pauline Ado, que também se classificou para a elite pelo WSL Qualifying Series no ano passado, que terminou com Silvana em primeiro lugar no ranking.

FESTA DE GALA DA WSL – Antes de começar a janela de realização do Quiksilver Pro e do Roxy Pro, do dia 14 a 25 de março na Gold Coast, no sábado (11) aconteceu a noite de gala dos melhores surfistas do mundo na Austrália. Três brasileiros foram premiados no WSL Awards Honor World´s Best Surfers entre os destaques de 2016, junto com as principais estrelas da festa, os novos campeões mundiais, John John Florence e Tyler Wright. O havaiano recebeu seu primeiro troféu das mãos do número 1 do mundo de 2015, Adriano de Souza.

Os campeões de 2016, John John Florence e Tyler Writh. Foto: Sloane/ WSL.

Nesse ano, o único brasileiro na lista dos campeões mundiais foi o carioca Phil Rajzman, com seu segundo título no Longboard. Já os paulistas Filipe Toledo e Caio Ibelli foram premiados por suas performances no WSL Championship Tour 2016. Caio foi o melhor estreante da temporada e ganhou o troféu do “Rookie of the Year”, vencido pelo potiguar Italo Ferreira em 2015. E Filipe levou a taça oferecida para o “Move of the Year”, de melhor manobra do ano.

Confira ao vivo o Quiksilver Pro e o Roxy Pro clicando aqui.

PRIMEIRA FASE DO QUIKSILVER PRO – Vitória=Terceira Fase / 3.o e 4.o=Segunda Fase:

1.a: Michel Bourez (TAH), Conner Coffin (EUA), Jadson André (BRA)
2.a: Matt Wilkinson (AUS), Stuart Kennedy (AUS), Ian Gouveia (BRA)
3.a: Kolohe Andino (EUA), Kanoa Igarashi (EUA), Jack Freestone (AUS)
4.a: Gabriel Medina (BRA), Wiggolly Dantas (BRA), Ezekiel Lau (HAW)
5.a: Jordy Smith (AFR), Miguel Pupo (BRA), Nat Young (EUA)
6.a: John John Florence (HAW), Connor O´Leary (AUS), Mikey Wright (AUS)
7.a: Kelly Slater (EUA), Mick Fanning (AUS), Jeremy Flores (FRA)
8.a: Julian Wilson (AUS), Caio Ibelli (BRA), Leonardo Fioravanti (ITA)
9.a: Joel Parkinson (AUS), Italo Ferreira (BRA), Joan Duru (FRA)
10.a: Filipe Toledo (BRA), Adrian Buchan (AUS), Frederico Morais (PRT)
11.a: Adriano de Souza (BRA), Josh Kerr (AUS), Bede Durbidge (AUS)
12.a: Sebastian Zietz (HAW), Owen Wright (AUS), Ethan Ewing (AUS)

PRIMEIRA FASE DO ROXY PRO – Vitória=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Segunda Fase:

1.a: Johanne Defay (FRA), Sally Fitzgibbons (AUS), Keely Andrew (AUS)
2.a: Tatiana Weston-Webb (HAW), Sage Erickson (EUA), Bronte Macaulay (AUS)
3.a: Tyler Wright (AUS), Nikki Van Dijk (AUS), Alyssa Lock (AUS)
4.a: Courtney Conlogue (EUA), Silvana Lima (BRA), Pauline Ado (FRA)
5.a: Carissa Moore (HAW), Laura Enever (AUS), Coco Ho (HAW)
6.a: Stephanie Gilmore (AUS), Malia Manuel (HAW), Lakey Peterson (EUA)