ÍTALO FERREIRA “BATE NA TRAVE” E É VICE EM PORTUGAL

O potiguar Ítalo Ferreira “bateu na trave” por décimos e ficou como vice em Cascais, chegando bem perto da quinta vitória consecutiva do Brasil no WSL Qualifying Series.

Único brasileiro que chegou até as finais em Cascais, Ítalo Ferreira ficou muito perto de conquistar a quinta vitória seguida do Brasil em etapas do WSL Qualifying Series nesta quinta-feira em Portugal. Mas “bateu na trave” por décimos, 12,90 a 12,10 pontos, e o havaiano Ezekiel Lau conseguiu acabar com essa série invicta e faturou o título do QS 10000 EDP Billabong Pro Cascais.

Ezekiel Lau comemorando a vitória. Foto: Poullenot/WSL.

Ezekiel Lau comemorando a vitória. Foto: Poullenot/WSL.

A vitória valeu 92 posições no ranking para o havaiano, que saiu da 104.a para a 12.a colocação. E os 8.000 pontos do vice-campeonato, levaram o potiguar do 96.o para o 17.o lugar.

Os quatro surfistas que chegaram no último dia, agora partem de Portugal para a França, onde no sábado começa próxima etapa do World Surf League Championship Tour em Hossegor.

Local de Baía Formosa, Ítalo sofreu uma contusão no início da temporada e não competiu em três etapas do WCT. Com isso,ele está fora do grupo dos 22 primeiros do ranking que são mantidos na elite dos Top-34 para o ano que vem, mas bem perto da zona de classificação, em 23.o lugar.

Esta foi apenas a segunda participação de Italo Ferreira em eventos do QS esse ano e agora está em uma situação mais confortável para garantir sua permanência pelo ranking de acesso, que indica dez surfistas para o WCT. Já faziam dois anos que ele não decidia um título na World Surf League e o potiguar agora ganha novo ânimo para buscar outros bons resultados.

Mais uma vez Ítalo apostou nos aéreos. Foto: Poullenot/WSL.

Foram três meses muito difíceis de recuperação da minha lesão, então estou muito feliz por estar de volta ao pódio. Parabéns ao Zeke, pois ele surfou muito bem e obrigado a todo este público que veio aqui para nos apoiar. A vibração aqui em Portugal é sempre fantástica. Eu tenho ótimas lembranças daqui, onde fiz final do World Junior, no WCT em Peniche e agora aqui em Cascais, então saio feliz mais uma vez pelo resultado e já estou ansioso para voltar”, falou o vice Ítalo Ferreira.

A decisão do título da última etapa com status máximo QS 10000, antes da Tríplice Coroa Havaiana que fecha a temporada na ilha de Oahu, rolou com notas medianas nas ondas de 3-4 pés desta quinta-feira nas ondas da  Praia do Guincho.

Ítalo com o troféu de vice em Cascais.  Foto: Poullenot/WSL.

Ítalo com o troféu de vice em Cascais. Foto: Poullenot/WSL.

O brasileiro de Baía Formosa largou na frente surfando uma esquerda que rendeu nota 5,83. As ondas não estavam abrindo paredes mais longas para fazer mais manobras, então ambos optaram em usar os aéreos para arrancar maiores notas.

O havaiano entrou na briga com notas 5,17 e 6,67 seguidas, enquanto Ítalo não conseguia completar as aterrisagens. Zeke seguiu aumentando a vantagem a cada onda, trocando o 5,17 por 5,33 e logo por um 6,23 que construiu o seu placar da vitória por 12,90 pontos. O potiguar ainda tentou uma reação no final, porém o máximo que conseguiu foi uma nota 6,27 para totalizar 12,10 pontos.

“Este é o primeiro ano que eu participo deste evento e só em chegar na final já era uma grande vitória para mim. Está sendo um ano de aprendizado para mim, aprendendo sobre mim mesmo e como eu gosto de competir. Tentei encarar cada dia como se fosse um surfe normal, apenas com uma lycra e eu adoro competir, então eu simplesmente aprendi a amar tudo isso, vivendo intensamente cada momento”,  contou Ezekiel Lau, que também está fora dos top-22 do CT e busca confirmar sua permanência pelo QS.

Ezekiel Lau também voou na Praia do Guincho. Foto: Poullenot/WSL.

O havaiano entrou no WCT com a última vaga do QS no ano passado e já conseguiu um bom resultado em sua primeira temporada na divisão de elite, um terceiro lugar parando nas semifinais do Rip Curl Pro Bells Beach na Austrália. Depois disso, não passou mais da terceira fase nas outras etapas e ocupa a 25.a posição no ranking. Agora, Zeke deve confirmar sua permanência pelo G-10 de novo, pois as duas últimas etapas com status QS 10000 serão na sua casa, abrindo a Tríplice Coroa Havaiana na ilha de Oahu.

SEMIFINAIS – Nas semifinais, Ezekiel Lau barrou o favorito ao título em Cascais, o português Frederico Morais. Nessa bateria, o havaiano fez a melhor apresentação do último dia, surfando muito bem as quatro ondas que pegou. Ele recebeu três notas na casa dos 7 pontos para conquistar a segunda vaga na grande final por 15,27 a 12,13 pontos.

Ítalo durante as semis. Foto: Poullenot/WSL.

Ítalo durante as semis. Foto: Poullenot/WSL.

No primeiro duelo do dia, Italo Ferreira usou sua variedade de manobras para liquidar o norte-americano Kanoa Igarashi por um placar mais apertado, 12,67 a 12,30 pontos.

A classificação para a grande final foi confirmada só na última onda do potiguar, que valeu 6,47. O californiano ainda recebeu a maior nota da bateria, um 6,77, e tentou a vitória mais duas vezes, porém o máximo que conseguiu foi 5,53 e precisava de um pouquinho mais do que isso.

PRÓXIMAS NO BRASIL – Depois do encerramento da perna europeia em Portugal, o Brasil vai sediar as próximas etapas do WSL Qualifying Series nesta reta final da temporada. Serão duas em semanas seguidas. A primeira é o South to South apresenta Itacaré Surf Sound Festival, com status QS 1500 nos dias 26 a 29 de outubro na Praia da Tiririca, em Itacaré, Bahia. E a última parada antes da Tríplice Coroa Havaiana será no litoral norte de São Paulo, no Hang Loose São Sebastião Pro, nível QS 3000 de 1.o a 5 de novembro na Praia de Maresias, em São Sebastião.

No momento, os brasileiros dominam a lista dos dez indicados pelo WSL Qualifying Series para a elite dos Top-34 da World Surf League. São cinco que estão se classificando. O paulista Jessé Mendes e o catarinense Yago Dora, já ultrapassaram a barreira dos 19.000 pontos que garantem vaga no WCT 2018. Jessé lidera o ranking e Yago perdeu a segunda posição para o norte-americano Kanoa Igarashi, que também confirmou o seu nome agora em Portugal.

Os catarinenses Willian Cardoso e Tomas Hermes estão mais perto disso, ocupando a quarta e quinta posições com 17.550 e 17.000 pontos, respectivamente. O cearense Michael Rodrigues, que foi vice-campeão nas duas provas do QS 6000, na Espanha e Portugal, não passou da sua estreia em Cascais e caiu da quarta para a oitava posição. E os mais próximos da zona de classificação agora são o catarinense Alejo Muniz em 16.o lugar e Italo Ferreira em 17.o, somando apenas dois resultados entre os cinco computados no ranking.

O brasileiro Ítalo Ferreira com o havaiano Ezekiel Lau no pódio do QS 10000 EDP Billabong Pro Cascais. Foto: Poullenot/WSL.

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO QS 10000 EDP BILLABONG PRO CASCAIS:

Campeão: Ezekiel Lau (HAV) por 12,90 pontos (notas 6,67+6,23) – US$ 40.000 e 10.000 pontos

Vice-campeão: Italo Ferreira (BRA) com 12,10 pontos (6,27+5,83) – US$ 20.000 e 8.000 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 6.500 pontos e US$ 11.000 de prêmio:

1.a: Italo Ferreira (BRA) 12.67 x 12.30 Kanoa Igarashi (EUA)

2.a: Ezekiel Lau (HAW) 15.27 x 12.13 Frederico Morais (PRT)

Jessé Mendes, o atual líder do ranking. Foto: Poullenot/WSL.

Jessé Mendes, o atual líder do ranking. Foto: Poullenot/WSL.

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES – após a 47.a etapa em Portugal:

01: Jessé Mendes (BRA) – 25.400 pontos

02: Kanoa Igarashi (EUA) – 21.990

03: Yago Dora (BRA) – 19.610

04: Willian Cardoso (BRA) – 17.550

05: Tomas Hermes (BRA) – 17.000

06: Keanu Asing (HAW) – 16.950

07: Griffin Colapinto (EUA) – 16.930

08: Michael Rodrigues (BRA) – 15.090

09: Michael February (AFR) – 14.750

09: Wade Carmichael (AUS) – 14.750

———sul-americanos até 100:

16: Alejo Muniz (BRA) – 11.800 pontos

17: Italo Ferreira (BRA) – 11.700

19: Alex Ribeiro (BRA) – 11.350

24: Jadson André (BRA) – 9.850

28: Flavio Nakagima (BRA) – 9.250

34: Deivid Silva (BRA) – 8.410

36: Bino Lopes (BRA) – 8.175

41: Thiago Camarão (BRA) – 7.660

42: Marco Giorgi (URU) – 7.600

43: Miguel Pupo (BRA) – 7.550

47: Miguel Tudela (PER) – 6.880

48: Peterson Crisanto (BRA) – 6.730

50: Heitor Alves (BRA) – 6.600

52: Filipe Toledo (BRA) – 6.500

55: Victor Bernardo (BRA) – 6.330

57: Hizunomê Bettero (BRA) – 6.210

58: Rafael Teixeira (BRA) – 6.165

69: Krystian Kymerson (BRA) – 5.225

70: Marco Fernandez (BRA) – 5.150

71: Luel Felipe (BRA) – 5.140

76: Tomas Tudela (PER) – 4.830

77: Lucas Silveira (BRA) – 4.540

83: David do Carmo (BRA) – 4.310

85: Santiago Muniz (ARG) – 4.210

88: Mateus Herdy (BRA) – 4.150

90: Lucca Mesinas Novaro (PER) – 4.070

92: Raoni Monteiro (BRA) – 4.055

95: Leandro Usuna (ARG) – 3.960

98: Marcos Correa (BRA) – 3.890

100: Adriano de Souza (BRA) – 3.860

101: Thiago Guimarães (BRA) – 3.820