O bicampeão brasileiro Leonardo Neves, aos 35 anos, está na disputa pelo título mais uma vez em 2015. Na sétima colocação, ele é o único surfista nascido no Rio de Janeiro com possibilidade de ser campeão nacional. Após vencer mais uma bateria na etapa de Saquarema, Léo fez um longo discurso quando foi perguntado sobre a situação dos competidores do estado:

O power surf de Léo Neves fez estragos na etapa da Joaquina, onde foi vice-campeão. Crédito: Pedro Monteiro/ SuperSurf.

O power surf de Léo Neves fez estragos na etapa da Joaquina, onde foi vice-campeão. Crédito: Pedro Monteiro/ SuperSurf.

“Isso aí é um reflexo de uma coisa que está acontecendo só no nosso estado: todos os atletas estão sem patrocínio. A gente viaja para o SuperSurf e vê que a galera dos outros estados está tendo dificuldade, mas não estão todos sem. Se os atletas do Rio estivessem sendo um pouquinho mais reconhecidos poderiam treinar, se alimentar bem e com certeza teríamos mais surfistas aí no top. Tem também o fato de termos ficado sem circuito ano passado. Isso atrapalhou no ranking. O SuperSurf está com quatro rounds de pré-classificação e os atletas do Rio estão entrando no primeiro round. Então, pode ser que a gente tenha um resultado melhor ano que vem. Acho que a volta do circuito é um ânimo para as marcas voltarem a patrocinar os atletas daqui, que tem bons surfistas. Mas a nova geração inteira está sem patrocínio, destaque entre eles para o Lucas e João Vitor Chumbinho. Eles são duas esperanças de termos um surfista daqui correndo o circuito mundial, pegando onda grande. O Lucas dropou uma onda monstruosa lá em Jaws, botou ela no prêmio XXL. O João Vitor ganhou o Pro Junior (Pena Little Monster 2015) e eu estou aqui fazendo resultado. Parece que a galera do Rio não está vendo. Vocês estão o que? Assistindo só WCT? Vamos acordar galera. Todos os estados estão fazendo seus trabalhos de base, campeonato amador com patrocínio de equipe, a galera treinando e os pais filmando na areia como videomaker. E no Rio a galera está muito entregue. Vejo os moleques abandonados, ninguém competindo direito, sem circuito, meio desmotivado. Espero que esse SuperSurf motive a galera a refazer os campeonatos e levantar o surf no Rio de Janeiro”, disse o melhor surfista do estado.

SUPERSURF DE VOLTA EM SAQUAREMA

Como a penúltima etapa é em Itaúna, lugar onde ele escolheu para viver, a esperança é grande. Morador de Saquarema há 15 anos, o carioca representa a cidade da região dos lagos e se esforça ao máximo para o campeonato dar certo. Léo anda por todos os lados batendo papo, tirando fotos, olhando previsão, empolgado com tudo o que acontece no evento. “Se no ano passado eu pudesse pedir alguma coisa no dia do meu aniversário, seria isso: o SuperSurf voltar e ter uma etapa aqui em Saquarema. Essa etapa é um sonho. Movimenta o mercado, as pousadas, os restaurantes, todo mundo fica feliz e isso é bom para a cidade. O campeonato está de parabéns, a estrutura está irada”, comemorou ele.

TRICAMPEONATO BRASILEIRO

Léo Neves. Crédito: Pedro Monteiro/ SuperSurf.

Léo Neves. Crédito: Pedro Monteiro/ SuperSurf.

Para ser campeão, Leonardo Neves, 7° colocado, não tem missão fácil para assumir a liderança. Mas isso não é novidade para ele. No SuperSurf de 2002, Léo começou a última etapa, na Prainha, Rio de Janeiro, em 8° lugar e conquistou o seu primeiro título nacional após vencer o campeonato com uma nota 10. C0mo foi anunciado mais um evento, em Torres, Fortaleza, as possibilidades de Léo melhoraram. “Não tem como não pensar em ser campeão de novo. Vai ter mais uma etapa no circuito (em Torres, Fortaleza) e isso abriu minhas chances legal. Se eu conseguir fazer um resultado aqui e na última etapa chegar junto de novo, vai ser a realização de um sonho.”

MOTIVAÇÃO EM ALTA

O bicampeão brasileiro (2002 e 2003), tricampeão carioca profissional e integrante do WCT por dois anos (2007 e 2008) se mantém motivado como se estivesse começando. “O surf tem uma parada que não é só para os competidores, é para qualquer surfista. A gente dorme sonhando em ver o swell a noite, mesmo que já tenha visto quatro cinco vezes. Queremos evoluir todo dia. Mesmo quando parar de competir, vou ser um velho instigado. Tipo eu vejo o Michael Ho, que viaja com o Mason, sempre que ele vem aqui para Saquarema. O coroa surfa, vai para o pico, bota para dentro do tubo e pega Waimea no Hawaii. Então, ele quer evoluir todo dia e provar que ainda surfa para caramba. Quando a gente vai envelhecendo, queremos provar que não envelheceu. Acho que cada vez vou me instigar mais conforme eu for envelhecendo”, garantiu Léo.

PARTICIPAÇÃO DO FILHO

1D82041DD72E499

Léo e o filho Valentim. Pai e filho participaram da mesma competição. Crédito: Pedro Monteiro/ SuperSurf.

Pai de Valentim Neves, ele ainda teve um motivo a mais para comemorar no evento de Saquarema. O filho, de apenas 13 anos, se tornou o surfista mais jovem a competir uma etapa na história do SuperSurf, além de recentemente ter conseguido um patrocínio. “O meu filho começou a surfar há três anos e está evoluindo muito. Esse ano ele teve a oportunidade de entrar na equipe da Seaway. O Rato (Eduardo Fernandes) veio aqui, viu ele surfando e tem um projeto longo para ele. Estou muito feliz porque vejo essa dificuldade de patrocínio no Rio de Janeiro e meu filho já está com uma marca como a Seaway, que acredita mesmo no moleque e tem equipe. Aqui rolou uma vaga para o campeonato e a galera decidiu convidar ele. O Valentim surfou muito bem na bateria, o mar estava difícil. Foi um pontapé inicial e quando ele tiver mais velho vai ser uma lembrança boa. Fora isso a motivação para seguir essa carreira que é o sonho dele”, afirmou o pai orgulhoso.

AMANHÃ TEM MAIS

As ondas aqui em Itaúna diminuíram bastante, mas mantém uma boa formação. “Felizmente o mar quando baixa aqui no Rio de Janeiro de leste, Saquarema ainda mantém meio metro a um metro. Hoje em qualquer outro lugar ia estar flat.” disse Léo, que acredita em uma melhora no mar nos próximos dias, apesar do mar continuar pequeno para amanhã.

Fiquem ligados no final de semana decisivo do principal circuito do surf brasileiro com transmissão ao vivo em oisupersurf.com.br.