MAYA GABEIRA VOLTA A SURFAR ONDAS GIGANTES

Maya Gabeira está 100% recuperada encara Nazaré em ondulação de presente de Natal.

Maya Gabeira está 100% recuperada. Foto:© Hugo Silva/Red Bull Content Pool.

Maya Gabeira estava num longo jejum de ondas grandes. Se recuperando de mais uma cirurgia na coluna, Maya está em Portugal há quase dois meses treinando e se preparando para o retorno. E foi de presente de Natal que recebeu a liberação de seu cirurgião para dropar as maiores.

E para a sua alegria, Nazaré também resolver presenteá-la com ótimas ondulações nos últimos dias. Desde o dia que rolou o Nazaré Challenge, Maya este na água no jet-ski para se preparar física e psicologicamente. E foi no dia 22 que surfou uma onda gigante para a direita, fazendo tow-in.

Trocamos uma ideia com Maya para saber os detalhes de mais essa conquista, e os próximos planos. Confira a entrevista.

Como foi voltar a pegar um mar grande depois de tanto tempo se preparando para isso?

Então, eu estava esperando a liberação do meu cirurgião que só veio no último dos quatro swells que entraram na sequência. Eu já estava direto no jet ski, na corda, sempre tentando pegar uma menor, já estava treinando. E já desde o ano passado que eu olhava para essa onda da direita. Queria pegar uma direita e acabou que rolou essa onda. Foi o Eric Rebiere que me puxou e Sebastian Steudtner estava fazendo a segurança. Acabei pegando essa onda. Foi ótimo. Também peguei umas esquerdas boas.

Maya aproveitou as ondulações de Natal. Foto:  © Hugo Silva/Red Bull Content Pool.

Quando você surfou essas ondas e como estava o line up nesse dia? Muito crowd?

Esse swell que eu peguei a direita boa e a esquerda, foi o swell do dia 22 de dezembro, dois dias após o campeonato. Tinha uma galera remando e outra fazendo tow-in. E acaba que quando todo mundo está remando, sobra bastante onda sem atrapalhar a galera da remada. As maiores acabam sempre meio que sobrando, porque o pessoal não quer tomar na cabeça, ou não consegue entrar remando. Então aproveitei esses momentos. Mas é Nazaré né, sempre tem uns momentos que fica menos crowd, na hora do almoço. Por acaso essa hora foi no meio da galera ali, mas como a direita não tinha ninguém acabei indo para a direita. E a esquerda, passei pela galera, mas era uma onda que ninguém ia pegar.

Para ler a entrevista completa clique em redbull.com.