MEDINA E JOHN JOHN BRILHAM NA ESTREIA EM J-BAY

Gabriel Medina ganhou a maior nota do sábado em Jeffreys Bay, Adriano de Souza e Italo Ferreira também passaram direto para a terceira fase

Adriano de Souza mostrou um surf sólido e avançou em Jeffreys. Foto: Cestari/WSL.

O início do Corona Open J-Bay vinha sendo adiado desde quarta-feira e no sábado finalmente chegou um swell mais consistente com séries de 4-6 pés em Supertubes para dar a largada na etapa sul-africana do World Surf League Championship Tour. Entre os cinco surfistas que brigam fase a fase pela liderança do ranking, apenas os dois últimos campeões mundiais estrearam com vitórias, o atual John John Florence com o maior placar do dia – 19,37 pontos de 20 possíveis – e o brasileiro Adriano de Souza. Além de Mineirinho, mais dois brasileiros passaram direto para a terceira fase, Gabriel Medina com a maior nota do sábado – 9,93 – e o potiguar Italo Ferreira. Os outros seis perderam, mas terão outra chance de classificação nos duelos homem a homem da segunda fase, que vão abrir o domingo em Jeffreys Bay.

“Estou feliz por ter avançado, foi por pouco, mas graças a Deus deu tudo certo para eu vencer a bateria”, disse Adriano de Souza, depois de superar o português Frederico Morais por um décimo de diferença, 13,83 a 13,73 pontos, com Jadson André ficando em último com 12,57. “As ondas estão excepcionais, mas cometi alguns erros lá fora, achando que iam entrar ondas melhores. Só que o tempo foi passando e comecei a ficar preocupado, mas ainda bem que o que eu fiz lá fora foi suficiente para avançar direto para a terceira fase”.

Wiggolly Dantas. Foto: Cestari.

A vitória de Mineirinho aconteceu no terceiro confronto do dia, logo após um dos dois surfistas que dividem o terceiro lugar no ranking com ele, Owen Wright, ser surpreendido pelo veterano Bede Durbidge. Adriano de Souza saiu do mar classificado e ainda viu mais dois concorrentes diretos na acirrada disputa pelo título mundial, também serem derrotados nos confrontos seguintes. O líder do ranking, Matt Wilkinson, foi batido pelo francês Jeremy Flores. E o outro terceiro colocado, Jordy Smith, perdeu para o americano Conner Coffin. Os dois vitoriosos foram os primeiros a chegar na casa dos 17 pontos nas duas notas computadas.

MELHOR DO DIA – O terceiro foi o havaiano John John Florence, que surfou de forma incrível as longas direitas de Jeffreys Bay para ganhar três notas acima de nove e totalizar impressionantes 19,37 pontos de 20 possíveis. O pernambucano Ian Gouveia estreou nessa bateria e terminou em terceiro lugar, atrás ainda de um dos sul-africanos convidados para o Corona Open J-Bay, Dale Staples. Com as classificações de John John e Mineirinho, caso Matt Wilkinson perca na segunda fase, os dois já passam para a primeira e segunda posições no ranking, respectivamente.

John John Florence. Foto: Cestari/WSL.

Na bateria seguinte, o potiguar Italo Ferreira conquistou a segunda vitória brasileira na primeira fase do Corona Open J-Bay. Ele não deu qualquer chance para os adversários desde a primeira onda que surfou em Supertubes, derrotando-os por uma grande vantagem de 15,27 pontos contra 11,24 do italiano Leonardo Fioravanti e 7,83 do norte-americano Kolohe Andino.

PARTICIPAÇÃO DUPLA – Depois, aconteceu a terceira participação dupla do Brasil no primeiro dia do CT da África do Sul. Na primeira, os paulistas Wiggolly Dantas e Miguel Pupo foram derrotados pelo australiano Joel Parkinson na bateria que abriu o Corona Open J-Bay. Na segunda, Adriano de Souza venceu e o potiguar Jadson André ficou em último.

Jadson André. Foto: Cestari/ WSL.

E na terceira, Gabriel Medina fez a melhor apresentação da “seleção brasileira” nas direitas de Supertubes. Ele foi o único a superar um recorde de John John Florence, aumentando a maior nota do campeonato para 9,93 numa onda surfada de forma espetacular. Ele ainda destruiu outra para atingir o segundo maior placar do dia, 18,83 pontos, com o australiano Stuart Kennedy ficando em segundo lugar com 14,77 e Caio Ibelli em último com 9,27 apenas.

Outro brasileiro que brilhou nas ondas de Jeffreys Bay foi o paulista Filipe Toledo, que está retornando ao CT na África do Sul, depois de ser suspenso da etapa de Fiji pelas atitudes antiesportivas com a sua eliminação no Oi Rio Pro em Saquarema (RJ). Com um surfe muito veloz, lincando suas manobras modernas e progressivas, ele ganhou a maior nota – 9,5 – na bateria que fechou o sábado. Mas, o taitiano levou a melhor nas duas ondas computadas, superando Filipinho por 16,67 a 15,17 pontos.

SEGUNDA FASE – Com a derrota, seis brasileiros vão ter que encarar uma rodada extra na África do Sul. Felizmente, nenhum duelo 100% verde-amarelo foi formado nesta primeira rodada eliminatória e todos poderão aproveitar a segunda chance de classificação para a terceira fase. Mas, precisarão ganhar suas baterias, senão terminarão em último lugar, recebendo apenas 500 pontos e 10.000 dólares pelas participações no evento.

Filipe Toledo. Foto: Cestari/WSL.

A repescagem será iniciada pelos líderes do ranking que perderam no sábado. O vice-campeão mundial Jordy Smith faz um duelo sul-africano com Dale Staples na abertura da segunda fase. Na segunda bateria, Matt Wilkinson com a lycra amarela do Jeep WSL Leader, enfrenta o outro convidado dessa etapa, Michael February. E Owen Wright entra na terceira com um novato que ainda não venceu nenhuma bateria no CT, o também australiano Ethan Ewing.

A participação brasileira na segunda fase começa na quarta bateria, com o potiguar Jadson André enfrentando o norte-americano Kolohe Andino. Na sexta, o paulista Miguel Pupo também precisando de um bom resultado para entrar no grupo dos 22 primeiros do ranking que são mantidos na elite dos top-34 da World Surf League, pega o australiano Connor O´Leary.

Ian Gouvei. Foto: Cestari/WSL.

Ian Gouvei. Foto: Cestari/WSL.

Depois, tem Filipe Toledo contra o norte-americano Kanoa Igarashi na oitava bateria, Caio Ibelli com o australiano Stuart Kennedy na nona e o também paulista Wiggolly Dantas na 11.a com o havaiano Ezekiel Lau. Já o pernambucano Ian Gouveia vai disputar a última vaga para a terceira fase num duelo luso-brasileiro com o português Frederico Morais.

 

PRIMEIRA FASE DO CORONA OPEN J-BAY NA ÁFRICA DO SUL:

01: 1-Joel Parkinson (AUS)=14.23, 2-Wiggolly Dantas (BRA)=13.60, 3-Miguel Pupo (BRA)=10.33

02: 1-Bede Durbidge (AUS)=13.84, 2-Owen Wright (AUS)=11.16, 3-Josh Kerr (AUS)=9.00

03: 1-Adriano de Souza (BRA)=13.83, 2-Frederico Morais (PRT)=13.73, 3-Jadson André (BRA)=12.57

04: 1-Jeremy Flores (FRA)=17.00, 2-Matt Wilkinson (AUS)=12.27, 3-Ethan Ewing (AUS)=9.93

05: 1-Conner Coffin (EUA)=17.04, 2-Jordy Smith (AFR)=14.76, 3-Michael February (AFR)=12.40

06: 1-John John Florence (HAV)=19.37, 2-Dale Staples (AFR)=16.03, 3-Ian Gouveia (BRA)=13.07

07: 1-Italo Ferreira (BRA)=15.27, 2-Leonardo Fioravanti (ITA)=11.24, 3-Kolohe Andino (EUA)=7.83

08: 1-Kelly Slater (EUA)=16.27, 2-Julian Wilson (AUS)=15.83, 3-Kanoa Igarashi (EUA)=8.77

09: 1-Jack Freestone (AUS)=16.00, 2-Adrian Buchan (AUS)=13.66, 3-Connor O´Leary (AUS)=11.00

10: 1-Gabriel Medina (BRA)=18.83, 2-Stuart Kennedy (AUS)=14.77, 3-Caio Ibelli (BRA)=9.17

11: 1-Mick Fanning (AUS)=17.23, 2-Sebastian Zietz (HAV)=9.83, 3-Joan Duru (FRA)=6.17

12: 1-Michel Bourez (TAH)=16.67, 2-Filipe Toledo (BRA)=15.17, 3-Ezekiel Lau (HAV)=10.60

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=25.o lugar com 500 pontos e US$ 10.000:

1.a: Jordy Smith (AFR) x Dale Staples (AFR)

2.a: Matt Wilkinson (AUS) x Michael February (AFR)

3.a: Owen Wright (AUS) x Ethan Ewing (AUS)

4.a: Kolohe Andino (EUA) x Jadson André (BRA)

5.a: Julian Wilson (AUS) x Josh Kerr (AUS)

6.a: Connor O´Leary (AUS) x Miguel Pupo (BRA)

7.a: Sebastian Zietz (HAV) x Leonardo Fioravanti (ITA)

8.a: Filipe Toledo (BRA) x Kanoa Igarashi (EUA)

9.a: Caio Ibelli (BRA) x Stuart Kennedy (AUS)

10: Adrian Buchan (AUS) x Joan Duru (FRA)

11: Wiggolly Dantas (BRA) x Ezekiel Lau (HAV)

12: Frederico Morais (PRT) x Ian Gouveia (BRA)