O MELHOR FILME DO ANO

Wayward levará suas expectativas a outro patamar! Vice-campeão do QS 6000 Australian Open of Surfing neste fim de semana, Julian Wilson lança talvez o melhor filme do ano.

Julian Wilson é considerado um dos surfistas mais completos do mundo. Foto: Nate Lawrence. 

Para seus próprios padrões, 2016 foi um ano frustrante para Julian Wilson. Ele fez a final do Margaret River e chegou perto da liderança em vários estágios do campeonato, mas não conseguiu reunir as vitórias necessárias para realmente ficar com o caneco. O mais frustrante de tudo, é que o australiano estava na melhor forma de sua vida dentro água.

Agora, com o primeiro evento do World Tour daqui a alguns dias na Gold Coast, entre os dias 14 e 25 deste mês, Julian Wilson aproveitou as férias, participou do QS 6000 na Austrália, onde ficou com a segunda colocação, e lançou seu novo vídeo, que mostra todas as suas armas contra seus adversários para este ano. Em forma e focado como ninguém, o aussie está com tudo para ficar entre os melhores. E ele sabe disso.

Julian encaixado enquanto as cortinas caem. Foto: Nate Lawrence.

Confira um bate-papo com Wilson e também assista Wayward, considerado talvez o melhor filme do ano.

Há quanto tempo você vem trabalhando nesse vídeo?

Cerca de 12 meses. As imagens mais antigas são desta época do ano passado. Eu realmente não tinha um plano na época, então segurei. Em seguida, estive por quatro dias em Bali no início do ano com minha esposa, Ashley, e saiu algumas coisas muito boas… Assim a ideia de juntar tudo começou a fazer sentido!  Também fiz uma outra viagem a Bali com Jimmy Lees, Lee Wilson e alguns outros amigos. Aí, achamos que já tínhamos muitos minutos de filmagem e talvez devêssemos tentar fazer algo um pouco mais longo. Tive a oportunidade de ir para Fiji entre Portugal e Hawaii para pegar um swell por alguns dias, e isso também ficou muito legal.

E aqueles aéreos insanos que você manda no vídeo?

O Chippa Wilson manda vários desses. Ele é muito bom em coisas técnicas, mas tem um que é quase um flat spin, o qual eu gostaria muito de mandar nas transições da onda. Esses aéeros do vídeo foram os primeiros que consegui, então fiquei muito feliz de acertar coisas novas.

O aussie e seu alley-oop gigantesco. Foto: Nate Lawrence.

Fale sobre “aquele aéreo” em Bali. É um Loop ou um Corked Alley-Oop? Como vocês estão chamando aquilo?

Acho que é um Corked Alley-Oop. Porque você dá uma invertida para segurar a rabeta. Você manda ele quando não tem vento, então é preciso um auxílio para aterrissar na transição. Na verdade, é um aéreo bem funcional quando as ondas estão clean e você quer tentar algo diferente.

Como você conseguiu manter esse clip em segredo, isso é muito difícil de conseguir hoje em dia? 

Sim, com certeza. Mas minha vida é muito baseada em campeonatos, eu sabia que se publicasse, seria só mais um videozinho. Então, como tenho uma equipe bem reduzida, é fácil manter as coisas entre a gente. E é bom conseguir guardar algumas coisas para algo maior nesse mundo de Instagram!

Você está ansioso para ver como as pessoas vão reagir a Wayward?

Sim, com certeza. Tem algumas manobras ali que eu curti muito e normalmente este sentimento meu já é o suficiente. Mas desta vez estou animado para compartilhar e ver o que as pessoas vão achar.

#JWayward

Para conferir a entrevista com o aussie na íntegra, clique em redbull.com.

Solte o play e assista Wayward