O NAUFRÁGIO E SWELL HISTÓRICO EM MAVERICKS

No último final de semana, Mavericks, na Califórnia, EUA, deu às caras como a tempos não fazia. Ondas assim só foram vistas em 2001, quando o big rider pernambucano Carlos Burle quebrou o recorde mundial da época de maior onda já surfada de todos os tempos. De lá para cá, algumas boas ondulações já foram vistas e surfadas em Half Moon Bay, mas segundo Burle nenhuma como essa. O mar estava realmente grande e bem difícil!

Pupilo de Carlos Burle, o jovem carioca Lucas Chumbinho se destacou nesse swell que vai ficar na história pegando aquela que pode ser considerada a maior onda da temporada. 

Chumbinho inscreveu sua onda no WSL Big Wave Awards e, mesmo que ela não seja a maior onda da temporada, ela irá contar para a avaliação geral do surfista na premiação de Melhor Performance do Ano.

Vale lembrar que o carioca já está na briga pelo prêmio em três categorias do “Oscar” de ondas grandes desta temporada: Onda do Ano, Melhor Onda na Remada e Vaca do Ano.

Vídeo: Reprodução Instagram/@lucaschumbo/grindtv

Mas esse dia memorável em Mavericks não foi só marcado como um dos maiores já vistos. Tudo ia bem até que um incidente aconteceu com o barco de apoio de Carlos Burle e Chumbinho, que foi pego por uma onda gigante e capotou no meio do line up do pico. Por sorte, ninguém se machucou.

A Red Bull bateu um papo com Burle para que ele mesmo contasse toda essa experiência. Veja o que pernambucano contou sobre a ondulação gigante em Mavericks, que proporcionou uma das maiores ondas da temporada para Lucas Chumbo e um naufrágio no barco que estavam!

Mavericks, Califórnia.  Foto: Pedro Bala/WSL.

RB – Foi uma das maiores ondulações dos últimos tempos em Mavericks? Como estava o mar?

BURLE- A última vez que eu vi o mar em Mavericks deste tamanho  foi em 2001, quando a gente surfou aquela onda gigante e quebrou aquele recorde. O mar do campeonato em 2010 estava muito grande, mas não estava do tamanho desse mar. Esse mar estava enorme, as maiores ondas não dava para remar com o equipamento que o pessoal estava surfando.

Mídia internacional relatou os fatos. Foto: Arquivo Pessoal.

Mídia internacional relatou os fatos. Foto: Arquivo Pessoal/Carçlos Burle.

RB – Acha que a onda do Lucas Chumbo pode ser mesmo considerada a maior da temporada?

BURLE- Acho que sim, ela pode sim vir a ser a maior onda da temporada. E, sem dúvidas, vai somar para concorrer ao prêmio de ‘Melhor Performance do Ano’. A performance dele este ano está indiscutível. Ele está surfando muito e acertando na chamada com os locais, estando no lugar certo, na hora certa, para pegar as maiores ondas… Então, ele está muito focado e o trabalho está rendendo bastante.

RB – Alguém mais se destacou no mar?

BURLE- Durante o tempo que ficamos lá, na hora que as ondas estavam maiores, realmente o destaque do mar foi o Lucas. Mas parabéns para todos que estavam neste mar. O Ben Andrews, que ganhou a ‘Maior Onda da Temporada’ no ano passado, também surfou uma onda legal. O Nick Vancoop também pegou uma onda. Bem, poucas ondas foram surfadas neste dia.

RB – O que aconteceu com o barco que vocês estavam!? O piloto não conseguiu fugir das ondas?

BURLE-  A gente estava com um capitão muito experiente. Já trabalhei algumas vezes com ele, mas o que aconteceu é que ele nunca tinha visto um mar deste tamanho. Ele achou que tinha motor suficiente para fugir da onda, mas ele foi o único barco que não conseguiu fugir dessa onda gigantesca. Um barco que estava do lado dele conseguiu sair um pouco antes, os dois jetskis também e ele ficou para trás. Segundo relatos dele, ele estava com controle total da situação e usando o motor para ganhar projeção, mas o motor não respondeu.

Barco nas pedras depois de naufragar em Mavericks. Foto: Arquivo Pessoal/Carlos Burle.

O que acontece é que nesses momentos existem outros fatores que você não controla, como por exemplo, bolhas. Bolhas de ar que vem de baixo e o motor perde potência. Isso acontece muito quando o mar está grande. É como ter um rodamoinho mais fraco e um mais forte. Como o mar estava muito grande, a correnteza era muito maior, a dimensão aumenta. No meu ponto de vista ele não estava acostumado com esse tipo de condição.

Vídeo: Reprodução Instagram @tim_bonython

Confira a entrevista na íntegra com o pernambucano Carlos Burle sobre esse swell histórico em Mavericks, clicando AQUI.