OITO BRASILEIROS ESTÃO NA 3ª FASE EM HALEIWA

Depois do domingo sem disputas, esta segunda-feira amanheceu com ondas desafiadoras de 10-12 pés em Haleiwa Beach para a continuação do QS 10000 Hawaiian Pro na ilha de Oahu. Um total de dezessete surfistas da América do Sul competiu nas quinze baterias disputadas e apenas oito brasileiros se classificaram para a terceira fase.

Jessé Mendes. Foto: Cestari/WSL.

Entre eles, alguns envolvidos na briga direta pelas dez vagas do WSL Qualifying Series para o WCT 2017, como Jessé Mendes, que defende o último lugar na lista, e Deivid Silva e Tomas Hermes, que ocupam a 11.a e 12.a posições no ranking, respectivamente. Tomas completou uma dobradinha verde-amarela com Robson Santos, repetindo o feito dos jovens Samuel Pupo e Yago Dora no início do dia. E mais dois talentos da nova geração também avançaram, Lucas Silveira e Victor Bernardo.

Tomas Hermes. Foto: Cestari/WSL.

A segunda-feira começou bem para o esquadrão brasileiro em Haleiwa, mas terminou com uma derrota dupla na bateria que abriu a rodada de estreia dos cabeças de chave do Hawaiian Pro. Adriano de Souza surfou a melhor, porém faltou uma nota um pouco maior para somar com o 8,23 e ele acabou perdendo por décimos a segunda vaga para as oitavas de final.

Adriano de Souza. Foto: WSL.

O espanhol Gony Zubizarreta venceu por 14,63 pontos e o australiano Mitch Crews superaram o nosso campeão mundial por 13,67 a 13,46. Já o sétimo no ranking do QS, Bino Lopes, terminou em último e sua vaga no G-10 agora é ameaçada por vários surfistas que podem entrar na zona de classificação em Haleiwa.

Dois brasileiros são os principais concorrentes e eles passaram suas primeiras baterias na Tríplice Coroa Havaiana. O 11.o colocado, Deivid Silva, competiu na primeira do dia e garantiu o segundo lugar nas duas últimas ondas que surfou no confronto vencido pelo taitiano Mihimana Braye.

Já no segundo confrontou deu dobradinha brasileira da nova geração contra mais um brazuca e um local da Ilha Guadalupe. Samuel Pupo e Yago Dora  foram os melhores durante a bateria, barrando o compatriota Krystian Kymerson e gringo Timothee Bisso.

Logo na bateria seguinte, mais dois integrantes do time verde-amarelo enfrentaram as desafiadoras ondas de Haleiwa: Hizunôme Bettero e Lucas Silveira. Porém, apenas o atual campeão mundial Pro Junior da World Surf League avançou para a fase seguinte da competição.

Aí veio mais outro confronto com participação tripla do Brasil e mais uma dobradinha foi concretizada. Robson Santos passou em primeiro e Tomas Hermes lutando por vaga no G-10 foi o segundo. Willian Cardoso só surfou uma onda, cometeu uma interferência na segunda e ficou em último, sendo eliminado junto com o havaiano Finn McGill.

Depois vieram quatro derrotas sul-americanas consecutivas, com os brasileiros Heitor Alves e Marco Fernandez, do argentino Santiago Muniz e do uruguaio Marco Giorgi. Na bateria do uruguaio, o português Frederico Morais fez os recordes desta segunda-feira em Haleiwa Beach, nota 9,77 e 17,87 pontos.

A série de eliminações era preocupante, pois o próximo a entrar no mar seria Jessé Mendes, que defende a última vaga no G-10 no Hawaiian Pro. Foi uma bateria difícil de ondas, mas Jessé conseguiu se classificar em segundo com a nota 5,33 da sua última onda, que acabou sendo a maior dos quatro competidores.


O espanhol Aritz Aranburu venceu por apenas 10,20 pontos e Jessé totalizou 9,83 para despachar dois havaianos, Eli Olson e Tanner Hendrickson. Já a participação brasileira na segunda fase foi encerrada com vitória de Victor Bernardo.

CABEÇAS DE CHAVE – A rodada de estreia dos cabeças de chave foi iniciada no dia de ontem, segunda-feira, mas só aconteceu a primeira bateria, com o campeão mundial Adriano de Souza e o sétimo colocado no QS, Bino Lopes, sendo eliminados em suas estreias no Hawaiian Pro. Mas dezesseis brasileiros ainda vão disputar classificação para as oitavas de final do QS 10000 de Haleiwa Beach. O vencedor da primeira bateria do campeonato, David do Carmo, está na que vai abrir o próximo dia, com o líder do QS, o norte-americano Kanoa Igarashi, o também top do WCT, Jeremy Flores, além de outro francês, Marc Lacomare.

Yago Dora. Foto: Cestari/WSL.

As quatro seguintes terão mais de um brasileiro disputando duas vagas para as oitavas de final. Alex Ribeiro e Yago Dora estão na segunda do dia e na terceira serão três enfrentando Kelly Slater, Ian Gouveia defendendo vaga no G-10, Deivid Silva tentando entrar na lista do WCT e a surpresa, Samuel Pupo. Tomas Hermes também está na porta de entrada do G-10 e compete junto com Caio Ibelli. E Robson Santos e Lucas Silveira, entram no quinto confronto do próximo dia.

Deivid Silva. Foto: Cestari/WSL.

Depois estreiam mais quatro brasileiros da elite do WCT. Italo Ferreira na 11.a bateria, Wiggolly Dantas na 12.a, Miguel Pupo na 14.a e Jadson André na 15.a. Com exceção do Jadson, que terá a companhia de Victor Bernardo em sua primeira apresentação na Tríplice Coroa Havaiana deste ano, eles vão enfrentar três surfistas de outros países. Assim como Jessé Mendes, que vai defender sua classificação para o WCT 2017 na 13.a bateria, contra o japonês Shun Murakami e dois cabeças de chave da Austrália, Adrian Buchan e Ethan Ewing.

Confira ao vivo o QS 10000 Hawaiian Pro direto de Haleiwa Beach, clicando aqui.

Haleiwa Beach. Foto: Heff/WSL.

BATERIAS DOS SUL-AMERICANOS NO QS 10000 HAWAIIAN PRO

SEGUNDA FASE – 3.o=65.o lugar (US$ 750 e 600 pts) / 4.o=81.o lugar (US$ 500 e 500 pts) – realizada até a 2.a bateria no sábado:

1.a: 1-Gony Zubizarreta (ESP), 2-David do Carmo (BRA), 3-Jacob Willcox (AUS), 4-Michael Rodrigues (BRA)

——– baterias que abriram a segunda-feira:

3.a: 1-Mihimana Braye (TAH), 2-Deivid Silva (BRA), 3-Charles Martin (GLP), 4-Granger Larsen (HAV)

4.a: 1-Samuel Pupo (BRA), 2-Yago Dora (BRA), 3-Timothee Bisso (GLP), 4-Krystian Kymerson (BRA)

5.a: 1-Ramzi Boukhiam (MAR), 2-Lucas Silveira (BRA), 3-Ricardo Christie (NZL), 4-Hizunomê Bettero (BRA)

6.a: 1-Robson Santos (BRA), 2-Tomas Hermes (BRA), 3-Finn McGill (HAV), 4-Willian Cardoso (BRA)

7.a: 1-Hiroto Ohhara (JPN), 2-Torrey Meister (HAW), 3-Soli Bailey (AUS), 4-Heitor Alves (BRA)

9.a: 1-Griffin Colapinto (EUA), 2-Mitch Coleborn (AUS), 3-Marco Fernandez (BRA), 4-Dimitri Ouvre (BLM)

12: 1-Frederico Morais (PRT), 2-Brett Simpson (EUA), 3-Marco Giorgi (URU), 4-Noe Mar McGonagle (CRI)

13: 1-Shun Murakami (JPN), 2-Cooper Chapman (AUS), 3-Santiago Muniz (ARG), 4-Taumata Puhetini (TAH)

14: 1-Aritz Aranburu (ESP), 2-Jessé Mendes (BRA), 3-Eli Olson (HAV), 4-Tanner Hendrickson (HAV)

15: 1-Victor Bernardo (BRA), 2-Diego Mignot (FRA), 3-Seth Moniz (HAW), 4-Maxime Huscenot (FRA)

TERCEIRA FASE –  3.o=33.o lugar (US$ 1.600 e 1.100 pts) / 4.o=49.o lugar (US$ 1.300 e 1.000 pts) – bateria que fechou a segunda-feira:

1.a: 1-Gony Zubizarreta (ESP), 2-Mitch Crews (AUS), 3-Adriano de Souza (BRA), 4-Bino Lopes (BRA)

——– baterias que vão abrir a terça-feira:

2.a: Kanoa Igarashi (EUA), Jeremy Flores (FRA), Marc Lacomare (FRA), David do Carmo (BRA)

3.a: Keanu Asing (HAW), Alex Ribeiro (BRA), Mihimana Braye (TAH), Yago Dora (BRA)

4.a: Kelly Slater (EUA), Ian Gouveia (BRA), Samuel Pupo (BRA), Deivid Silva (BRA)

5.a: Caio Ibelli (BRA), Connor O´Leary (AUS), Ramzi Boukhiam (MAR), Tomas Hermes (BRA)

6.a: Conner Coffin (EUA), Leonardo Fioravanti (ITA), Robson Santos (BRA), Lucas Silveira (BRA)

11: Italo Ferreira (BRA), Joan Duru (FRA), Ian Crane (EUA), Brett Simpson (EUA)

12: Wiggolly Dantas (BRA), Bede Durbidge (AUS), Frederico Morais (PRT), Evan Geiselman (EUA)

13: Adrian Buchan (AUS), Ethan Ewing (AUS), Shun Murakami (JPN), Jessé Mendes (BRA)

14: Miguel Pupo (BRA), Ryan Callinan (AUS), Aritz Aranburu (ESP), Cooper Chapman (AUS)

15: Jadson André (BRA), Adam Melling (AUS), Victor Bernardo (BRA), Patrick Gudauskas (EUA)