PAULISTA É O REI NAS ONDAS DE ITACARÉ

O paulista Deivid Silva conquista o título do Itacaré Surf Sound Festival apresentado pela South to South na Bahia. Ele pegou as melhores ondas que entraram na bateria final para derrotar o baiano Marco Fernandez na decisão do título diante da sua torcida na Praia da Tiririca lotada no domingo.

Deivid Silva mostrou todo o seu potencial nas ondas da Praia da Tiririca. Foto: Peu Fernandes.

O paulista Deivid Silva é o campeão do QS 1500 Itacaré Surf Sound Festival apresentado pela South to South e pelo Governo do Estado da Bahia na Praia da Tiririca lotada, torcendo para o baiano Marco Fernandez no domingo. Mas Deivid pegou as melhores ondas que entraram na bateria decisiva, para faturar o prêmio máximo de 10.000 dólares, computando notas 9,60 e 8,17 no placar encerrado em 17,77 a 14,40 pontos.

Essa foi a segunda vitória do guarujaense na temporada 2017 do WSL Qualifying Series e Marco Fernandez terminou como vice-campeão novamente, como na etapa realizada na Praia do Forte no ano passado, quando perdeu a final para o também baiano Bino Lopes no litoral norte do estado.

Deivid comemorando a vitória em Itacaré. Foto: Igor Neves.

Deivid comemorando a vitória em Itacaré. Foto: Igor Neves.

“Estou muito feliz por vencer esse evento e isso foi um motivo a mais para eu nunca desistir do meu sonho, que é entrar no WCT . Eu agradeço aos meus pais, a minha esposa que está aqui e agora eu vou com tudo para as etapas que faltam, em Maresias e no Hawaii, para dar o meu máximo como fiz aqui para buscar meu grande objetivo, que é entrar no WCT”, falou o campeão Deivid Silva, que chegou na Bahia em 34.o lugar no ranking do WSL Qualifying Series.

Deivid competiu desde o primeiro dia em Itacaré, pois não fez a inscrição dentro do prazo e teve que entrar na primeira fase, enquanto os cabeças de chave, como Marco Fernandez, só estrearam na terceira rodada da competição.

Mas isso não o prejudicou em nada e ele ganhou o evento de ponta a ponta, ou seja, venceu a primeira e a última bateria do campeonato sempre fazendo grandes apresentações nas boas ondas que rolaram durante os quatro dias do evento na Praia da Tiririca. No domingo, começou o dia derrotando o peruano Alonso Correa nas quartas de final e depois passou pelo catarinense Alejo Muniz na disputa pela primeira vaga na grande final.

Deivid ganhou o evento de ponta a ponta, ou seja, venceu a primeira e a última bateria do campeonato sempre fazendo grandes apresentações. Foto: Igor Neves.

“Eu acho que esse evento me fortaleceu bastante e muito obrigado a todos pela torcida. Esse campeonato foi incrível, deu altas ondas em todos os dias, consegui fazer boas baterias e estou muito feliz. Eu nem ia vir para cá, mas meu pai insistiu, então tive que entrar na primeira fase, mas deu tudo certo e só tenho que agradecer a Deus, minha família e a todos que torceram por mim”, contou Deivid Silva.

A bateria final com 35 minutos de duração começou no início da tarde, com a praia lotada torcendo para o baiano Marco Fernandez. E foi ele quem pegou a primeira onda boa da bateria, que valeu nota 6,83. Deivid Silva logo achou uma direita que rendeu duas manobras para ganhar nota 5,0 e se manter na briga. O baiano entra numa esquerda fraca nota 3,0 e o paulista pegou outra direita para repetir a dose das duas manobras e tirar 5,23, passando a frente por uma pequena vantagem de 10,23 a 9,83 pontos.

O baiano Marco Fernandez também fez uma bela apresentação na competição e ficou como vice. Foto: Igor Neves.

Enquanto Marco Fernandez estava com a prioridade de escolha da próxima onda no outside, Deivid pegou uma esquerda que passou por ele e atacou forte para subir seu placar para 11,83 com nota 6,60. O baiano pega uma direita, faz uma manobra e troca a nota 3,0 por 4,17.

Marco fica pegando umas ondas fracas e Deivid demora mais para surfar, mas escolhe outra direita boa para mandar uma série de três manobras mais explosivas de backside e arrancar nota 8,17 dos juízes, ampliando a vantagem sobre baiano de Arembepe para 7,95 pontos.

O vice Marco Fernandez em ação nas ondas de Itacaré. Foto: Peu Fernandes.

Marco então preferiu ser mais seletivo e escolheu uma direita mais longa para desferir três batidas e rasgadas que valeram nota 7,57, diminuindo a diferença para 7,21 nos 10 minutos finais. Só que Deivid acha outra direita com a parede em pé para usar a potência do seu backside com três pancadas muito fortes que os juízes deram nota 9,60, praticamente confirmando a vitória há cinco minutos do fim.

Marco Fernandez não conseguiu nenhuma outra onda boa e o placar terminou em 17,77 a 14,40 pontos, com Deivid Silva ganhando o prêmio máximo de 10.000 dólares. Marco Fernandez repetiu o vice-campeonato em etapas do QS na Bahia, pois também tinha sido vice-campeão na Praia do Forte no ano passado.

Marco recebendo seu o troféu de vice. Foto: Igor Neves.

Marco recebendo seu o troféu de vice. Foto: Igor Neves.

“Bati na trave pela segunda vez, mas o trabalho continua e foi um resultado importante para dar uma reanimada no ânimo para os próximos eventos. A bateria foi decidida nos detalhes e eu sabia que quem pegasse a melhor onda, ia ser o campeão. Quando eu fui naquela onda que fiz minha maior nota, o Deivid pegou a de trás que acabou sendo melhor e tirou nove e pouco. Então, era o dia dele, conseguiu achar a melhor onda e foi o campeão. Mas foi muito bom ter voltado essa etapa aqui em Itacaré e, quem sabe, poderemos ter esse evento aqui e o da Praia do Forte no ano que vem também, pois o Brasil precisa mesmo de mais etapas para a gente poder somar pontos em casa”, explicou Marco Fernandez.

RECORDISTAS NAS SEMIFINAIS – Os dois finalistas fizeram por merecer chegar na decisão do título, pois foram eles que barraram os surfistas que tinham feito os recordes da semana na Praia da Tiririca. O paulista Deivid Silva fez o maior placar do primeiro dia, 16,90 pontos que só foram ultrapassados no sábado e duas vezes. Primeiro pelo também paulista Flavio Nakagima, que totalizou 17,50 pontos, depois por Alejo Muniz, que atingiu 17,90.

Porém, na semifinal o catarinense não conseguiu achar boas ondas, enquanto Deivid Silva dava mais um show nas direitas da Tiririca, fazendo uma apresentação melhor do que a outra. Ele já começou forte com nota 6,67, na segunda recebeu 6,33 e a terceira valeu 8,17. Alejo preferiu esperar mais pelas melhores ondas e Deivid ainda aumentou a vantagem com 7,77 em outra boa onda. Quando o catarinense conseguiu sua maior nota – 8,17 – o paulista respondeu com 7,87 e ainda tirou 7,77 na última onda, para vencer por 16,04 a 13,60 pontos.

Alejo Muniz terminou na terceira colocação na competição. Foto: Peu Fernandes.

“Foi uma bateria difícil como eu já esperava. Ele conseguiu achar um 8,0 com a prioridade e um 7,0 quando eu estava com a prioridade. Eu ainda consegui surfar uma onda boa nota 8,0, mas o mar deu uma piorada legal e ficou bem difícil. Eu queria ter tido mais uma chance, o que acabou não acontecendo, mas o terceiro lugar é um bom resultado também. Mesmo não fazendo a final, em questão de performance, foi o meu melhor surf do ano inteiro, então Itacaré foi bem importante pra melhorar minha confiança”, disse Alejo Muniz.

Na outra semifinal, o baiano Marco Fernandez foi cirúrgico na escolha das ondas e largou na frente com notas 7,77 e 7,17, massacrando as direitas com manobras potentes de frontside levantando grandes leques de água na Praia da Tiririca. O capixaba Krystian Kymerson passou a arriscar os aéreos que lhe renderam as maiores notas do evento, como o 9,90 que recebeu no sábado. No entanto, as condições não estavam tão favoráveis para voar no domingo e Marco Fernandez ainda somou um 8,17 no placar encerrado em 15,94 a 9,34 pontos.

O capixaba Krystian Kymerson. Foto: Igor Neves.

“Estou muito feliz pelo terceiro lugar também, pois eu tive um ano muito difícil e graças a Deus consegui fazer um bom resultado aqui. O Marquinho está de parabéns e eu sabia que ia ser uma grande semifinal. Eu só consegui achar as ondas no fim, mas já era tarde e o Marquinho está de parabéns. Certamente, vai ser uma grande final entre ele e o Deivid , que também está quebrando o campeonato inteiro. Para mim agora, é focar em Maresias , que vai ser muito importante também. Quero levar essa ‘vibe’ boa daqui da Bahia pra Maresias, para buscar um bom resultado lá também”, falou Krystian Kymerson.

TÍTULO SUL-AMERICANO – Mesmo parando nas semifinais, Krystian subiu da oitava para a segunda posição no ranking regional da WSL South America e entrou na briga direta pelo título sul-americano, que será decidido no próximo fim de semana na Praia de Maresias, em São Sebastião, litoral norte de São Paulo. Ele só tinha disputado uma etapa na América do Sul esse ano, sendo vice-campeão na final com o atual líder do ranking, Thiago Camarão, no QS 1500 de Mar del Plata, na Argentina.

Com o resultado do South to South apresenta Itacaré Surf Sound Festival, quatorze surfistas têm chances matemáticas de se sagrar campeão sul-americano de 2017 na última etapa, inclusive os finalistas na Bahia. Esse título regional ganhou importância depois que a World Surf League passou a premiar o campeão com a garantia de participação nas principais etapas do WSL Qualifying Series do próximo ano, as com status QS 6000 e QS 10000, que são decisivas na disputa pelas dez vagas para a elite dos top-34 do World Surf League Championship Tour.

Deivid Silva recebendo o título do South to South apresenta Itacaré Surf Sound Festival. Foto: Igor Neves.

Deivid Silva recebendo o título do South to South apresenta Itacaré Surf Sound Festival. Foto: Igor Neves.

RESULTADOS DO DOMINGO NO SOUTH TO SOUTH apresenta ITACARÉ SURF SOUND FESTIVAL:

Campeão: Deivid Silva (BRA) por 17,77 pontos (9,60+8,17) – US$ 10.000 e 1.500 pontos no QS

Vice-campeão: Marco Fernandez (BRA) com 14,40 pontos (7,57+6,83) – US$ 5.000 e 1.125  pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 840 pontos no QS e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: Deivid Silva (BRA) 16.04 x 13.60 Alejo Muniz (BRA)

2.a: Marco Fernandez (BRA) 15.94 x 9.34 Krystian Kymerson (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 630 pontos e US$ 1.000 de prêmio:

1.a: Alejo Muniz (BRA) 13.53 x 8.34 Weslley Dantas (BRA)

2.a: Deivid Silva (BRA) 16.90 x 9.60 Alonso Correa (PER)

3.a: Marco Fernandez (BRA) 15.74 x 14.26 Alex Ribeiro (BRA)

4.a: Krystian Kymerson (BRA) 12.60 x 12.50 Tales Araujo (BRA)

Pódio do South to South apresenta Itacaré Surf Sound Festival. Foto: Igor Neves.

RANKING SUL-AMERICANO DA WSL SOUTH AMERICA – após  4.a das 5 etapas:

1.o: Thiago Camarão (BRA) – 1.720 pontos

2.o: Krystian Kymerson (BRA) – 1.310

3.o: Gabriel André (BRA) – 1.045

4.o: Alvaro Malpartida (PER) – 1.030

5.o: Jeronimo Vargas (BRA) – 1.025

6.o: Deivid Silva (BRA) – 1.000

7.o: Marcos Correa (BRA) – 960

8.o: Samuel Igo (BRA) – 935

9.o: Gustavo Ramos (BRA) – 900

10.o: Yagê Araujo (BRA) – 830

Clique AQUI para acessar o ranking completo.