“PRANCHA MÁGICA É UMA EXTENSÃO DO SEU CORPO”

Confira como é a parceria entre o shaper Xanadu e o top Caio Ibelli, que foi considerado o melhor estreante da temporada no Circuito Mundial no ano passado.

Xanadu é, sem dúvida, um dos shapers mais renomados do mundo.  Nascido em São Paulo, ele começou a shapear 1975 quando tinha apenas 15 anos de idade. E explica o por quê?: “Como você vai explicar para um artista plástico fazer uma obra de arte exatamente igual ao que sonhou ontem à noite? Vou começar a fazer pranchas e um dia o pensamento que estiver (sonho) na minha cabeça vai sair em minhas mãos. Na época, não existia programas e máquinas para fazer o que a sua mão não consegue como é hoje em dia?. (Foto em destaque: Cestari/WSL)

O paulista se mudou para a América bem cedo e lá construiu uma carreira sólida, fazendo pranchas para muitos atletas do QS e WCT durante algumas décadas.  Apesar da nova geração não conhecer ele muito bem aqui no Brasil, Xanadu é muito respeitado pelo trabalho que desenvolveu todos esses anos, alavancando a carreira de muitos atletas. Hoje, aos 56 de idade, é responsável pelo quiver do brasileiro Caio Ibelli, que ficou em 17a  colocação no ranking em seu primeiro ano na elite.

 

XANADU

Como começou a sua história como shaper e quando e como surgiu a Xanadu Surfboards?

O nome Xanadu Surfboards surgiu do meu apelido que veio da minha casa de praia, que o nome é Xanadu. E iniciei em 1975 quando tinha 15 anos de idade. Por quê? Como que você vai explicar para um artista plástico fazer uma obra de arte exatamente igual ao o que sonhou ontem à noite? Vou iniciar a fazer pranchas e um dia o pensamento que estiver na minha cabeça vai sair nas minhas mãos. Entendeu o porquê? Na época não existia programas e máquinas para fazer o que a sua mão não consegue como é hoje em dia.

 Quando começou a parceria com o Ibelli e como está sendo o desenvolvimento do trabalho de vocês?

A parceria começou no início de 2015 por causa dos pais do Caio que vieram me procurar quando eu estava passando uns dias de férias no Guarujá. Acredito que o Marcelo Ibelli, pai do Caio, veste a camisa e sabia do meu histórico. O desenvolvimento do nosso trabalho é ótimo. Eu entendo bem o Caio por sermos parecidos. Temos personalidades semelhantes, ele é bem direto e está sempre pensando como melhorar, como eu.

O Ibelli é muito exigente na hora de produzir uma nova prancha?

Sim. O Caio é exigente, mas eu também sou até mais do que ele. Estou ensinando ele ser mais exigente, mais preciso de como analisar as pranchas.

“A prancha mágica é como eu sempre falei, uma extensão do seu corpo.” 

E qual a principal característica do surf dele que você gosta de explorar nos seus designs?

Não tem uma característica específica que gosto. Eu gosto do surf dele por um todo, o conjunto de tudo que ele faz quando está surfando uma onda.

 Qual o quiver do Ibelli no ano passado e que tipo de prancha ele gosta mais de surfar no dia a dia?

Para a maioria dos campeonatos do WCT de 5’8″ a 5’11”, já nos  QS de 5’6″ a 5’10”.  Ele gosta mais da Rabeta round e round pin, fundo concavo ou duplo concavo, 5″8″ X 18.25 X 2.30.

Para você, o que é uma prancha “mágica?

Considerar a prancha mágica é como eu sempre falei, uma extensão do seu corpo. Ela faz tudo o que você pensa em fazer quando está surfando uma onda. É como se não existisse uma prancha entre o surfista e a onda. Você sabe da sua habilidade e surfa nos seus limites sem ter que pensar se a prancha vai ou não vai permitir surfar os seus limites.

 Foto:Paulo VitaleCAIO IBELLI 

 Como foi o início de seu trabalho com o Xanadu?

Começamos a trabalhar juntos no começo de 2015. Estava precisando de uma afinação no meu surf e não conseguia ver o que era. Quando comecei o trabalho com o Xanadu, os resultados começaram a aparecer. De primeira ele fez cinco pranchas mágicas antes de me fazer testar o resto dos 899 modelos de pranchas e fundos que ele tem (risos)! É sério! Se você abrir a relíquia do site, vai ver quantos modelos ele tem!

 Qual a principal característica dele para que você viesse a escolher ele como seu shaper?

As pranchas deles sempre foram referência nas antigas. Precisava de um shaper que estivesse disposto em fazer um trabalho do zero comigo, e o Xanadu foi o cara que confiou em mim em uma hora que ninguém confiava. Surf é assim: quando você está bem, todos os shapers querem fazer prancha para você; quando está mal, ninguém quer nada. E foi nessa hora que eu e o Xanadu fizemos a parceria.

“De primeira ele fez cinco pranchas mágicas antes de me fazer testar o resto dos 899 modelos de pranchas e fundos que ele tem (risos)! É sério!”

Como o trabalho com o Xanadu vem melhorando a evolução do seu surf e

Amo meu equipamento e sei quanta atenção o Xanadu coloca nas minhas pranchas. Tenho muitos modelos de pranchas e todos nas condições certas são mágicas. O cara é um artesão de verdade!
E qual é a conversa entre vocês na hora de produzir uma nova prancha?

Nós dois somos duas pessoas de cabeça dura, mas a gente se entende muito bem. Sempre estou dando um feedback honesto das pranchas e acho que ele sempre entende tudo que quero e conserta na próxima prancha.

 “As pranchas eu sei que são mágicas, então posso forçar e confiar nelas, isso que faz o surf evoluir.”

Que prancha você considera a “mágica”?

A 5’8” X 21 Round foi a prancha que me qualifiquei em 2015. Uma prancha versátil que funciona em qualquer mar,mais performance, eu acho. Já a 5’8’ Viper Round é a minha favorita. Para point break ou onda de qualidade, a prancha é a melhor, muito boa para tubo.

Como está sendo o desempenho dessa prancha dentro d’água e como ela está ajudando a aprimorar seu surf?

As pranchas eu sei que são mágicas, então posso forçar e confiar nelas, isso que faz o surf evoluir.

Você pretende pedir ao Xanadu alguma mudança no seu quiver?

Estamos sempre trabalhando nas pranchas e essa é a parte mais divertida no nosso trabalho juntos. Vamos continuar nossos testes em novos modelos para o ano que vem estar pronto para cada etapa.

Rabeta round e round pin, fundo côncavo ou duplo côncavo, 5’8” X 18.25 X 2.30