QUEM SÃO OS DEZ SURFISTAS MAIS BEM PAGOS EM 2016

Dois brasileiros constam no levantamento realizado pela publicação de uma revista australiana  Quem são eles?

Todos sabem que os surfistas do Circuito Mundial de Surf são muito bem remunerados. A cada etapa, num total de 11, a World Surf League (WSL) distribui US$ 100 mil para o campeão, o equivalente a 350 mil reais. E para quem perde na estreia ou na repescagem leva um valor “simbólico” de US$ 9 mil, cerca de R$ 31 mil.

Mas, além da premiação nas competições, cada atleta também conta com os patrocínios. Os patrocinadores pagam para associar sua marca à imagem do surfista. Diante da curiosidade sobre os valores “polpudos” do Circuito, a australiana Stab Magazine publicou uma lista polêmica sobre o faturamento dos 10 surfistas mais bem pagos em 2016. E há dois brasileiros entre eles, confira!

Foto: Cestari/WSL.

John John Florence

Não podia ser diferente. O atual campeão mundial John John Florence é o número 1 da lista publicada pela revista australiana.

Segundo a lista, o jovem havaiano faturou US$ 6,1 milhões durante o ano passado, o equivalente a R$ 21.350 milhões, sendo que US$ 631 mil (R$ 2.200 milhões) foram apenas de premiação da WSL.

Nesse valor já está incluso o bônus pelo título. “John John fatura, atualmente, 700 dólares por hora, mesmo quando está dormindo”, citou a publicação australiana.

John John durante o Pipe Masters em 2016. Foto: Cestari/WSL.

Foto: Sloane/WSL.

Gabriel Medina

Logo atrás de John John Florence vem o brasileiro Gabriel Medina, que segundo a publicação embolsou US$ 5.5 milhões (R$ 19,250 milhões), mesmo tendo terminado em terceiro do ranking.

Deste valor, US$ 282 mil (R$ 987 mil) seriam  de premiações. Medina em 2015 foi considerado como uma das 100 personalidades mais influentes do mundo pela revista americana Time.

Medina em ação nas ondas portuguesas. Foto: Poullenot/WSL.

Foto: Poullenot/WSL.

Filipe Toledo

Outro representante brasileiro que aparece na lista da revista australiana é o ubatubense Filipe Toledo.

Ano passado, ele ficou em sétimo lugar, mas levou com US$ 1.6 milhão (R$ 6,5 milhões) de faturamento (US$ 138 mil em prêmios).

Vale lembrar que com  21 anos de idade Filipinho é o mais jovem atleta dessa lista.

Filipinho durante o Pipe Masters do ano passado. Foto: Cestari/WSL.

A hexacampeã mundial, a australiana Stephanie Gilmore, além da havaiana Carissa Moore, tricampeã mundial, são as duas representantes entre as mulheres da lista, em sétimo e oitavo lugares, respectivamente.

A grande surpresa é o nome do 11 x campeão mundial  Kelly Slater não estar na lista. Segundo a publicação australiana, a fonte de rendimento de Slater é uma “incógnita” por causa dos seus negócios pessoais.

Kelly Slater ficou fora da lista. Foto: Poullenot/WSL.

Confira a lista completa dos surfistas mais bem pagos do mundo em 2016:

1 – John John Florence (HAW) US$ 6.1 milhões
2 – Gabriel Medina (BRA) US$ 5.5 milhões
3 – Jordy Smith (AFR) US$ 3 milhões
4 – Mick Fanning (AUS) US$ 2.8 milhões
5 – Kolohe Andino (EUA) US$ 2.6 milhões
6 – Julian Wilson (AUS) US$ 2.3 milhões
7 – Filipe Toledo (BRA) US$ 1.6 milhão
8 – Stephanie Gilmore (AUS) US$ 1.4 milhão
9 – Carissa Moore (HAW) US$ 1.1 milhão
10 – Jack Freestone (AUS) US$ 1 milhão

Fonte: globo.com