“QUERIA FAZER UMA COISA QUE REALMENTE ME DESSE PRAZER”

“Estava com 40 de idade e queria fazer uma coisa que realmente me desse prazer.” Foi assim que o pernambucano Renato Tinoco  começou a trabalhar profissionalmente com o surf, isso há uma década, quando foi morar em Florianópolis, Santa Catarina. E não encontrou dificuldades para ingressar nesse ramo. “No início dei sorte, pois foi na época em que as principais revistas dispensaram seus staffs de fotógrafos e começaram a abrir mais espaço para colaboradores”, conta Tinoco. (Foto em destaque: Ian Gouveia em La Punta, México.)

Fazendo amigos em Moorea.

Natural da cidade de Recife, Pernambuco, Renato Tinoco começou a fotografar ainda novo, aos 16 anos.

“Comprei minha primeira câmera, uma Minolta a prova d’água, quando fui estudar na Califórnia porque queria fotos minhas surfando. Então, eu revezava com os amigos e cada um ficava uma hora fotografando enquanto os outros surfavam”, diz.

De lá para cá, ele foi se aperfeiçoando cada vez mais, além de procurado trabalhar de forma diferenciada para divulgar seu material.

“Uma coisa que sempre me abriu as portas foi trabalhar com a parceria dos surfistas, sempre passando as fotos em baixa, pois eles na maioria das vezes corriam atrás de publicação com os editores de revista e patrocinadores. Depois que você tem seu material publicado nas melhores revistas do segmento, as portas tendem a se abrir mais facilmente”, explica o pernambucano.

Jadson André num dia de vento em Teahupoo, o que deu esse efeito legal na onda.

Hoje, mesmo com 34 anos de estrada, Tinoco ainda tem planos para fotografar muitos destinos, entre eles Nova Zelândia, Maldivas e Galápagos. Além disso, ele segue se especializando e buscando novos caminhos na profissão: “Quero continuar correndo atrás e também migrando um pouco para o vídeo, que é uma coisa que tem um campo mais amplo e com uma remuneração melhor.”

Passarinho cansado de voar.

NASCIDO: 08/10/1965

RESIDÊNCIA ATUAL: Florianópolis

EQUIPAMENTO:  Canon Eos1dx, Canon 7d Mkii E Lentes Canon para vídeo Sony Fs5

MELHOR PICO PRA FOTOGRAFAR:  Praia Do Bode, Fernando De Noronha (PE)

MELHOR TRIP: Tahiti

PIOR TRIP: Costa Rica, porque na época as condições estavam muito fracas

CAPAS PUBLICADAS: Surfer (1), Fluir (2), Hardcore (1), Blackwater (2), Surf News Magazine – Itália (1) E X3mag – Peru (1)

MELHORES SURFISTAS PARA FOTOGRAFAR: Fabio Gouveia, Guga Arruda, Gabriel Medina, Franklin Serpa, Bruno Galini, Greg Cordeiro, entre muitos outros

INFLUÊNCIAS NA FOTOGRAFIA / FOTÓGRAFOS FAVORITOS:  J R Duran, Scott Aichner, Pedro Tojal E Luiz Blanco. Além Destes, Zak Noyle, Leopoldo Conrado, Benjamin Wong E Shanon Wild

CONSELHO PARA QUEM ESTÁ COMEÇANDO: Follow your dreams!

REDES SOCIAIS: www.renatotinoco.com (Site) /  @renatotinoco (Instagram)


 Qual você considera a sua melhor foto?

 “Não tenho nenhuma que ache A MELHOR,  sempre faço umas que acabo gostando mais que a anterior.”


Kelly Slater num final de tarde de ondas incríveis 6″ plus depois do Billabong Pro Tahiti 2015 ser paralisado, nem sei por que, mas agradeço ao Kieren Perrow pela decisão.

“Comprei minha primeira câmera, uma Minolta a prova d’água, quando fui estudar na Califórnia porque queria fotos minhas surfando. Então, eu revezava com os amigos e cada um ficava uma hora fotografando enquanto os outros surfavam.”

Italo Ferreira em Teahupoo.

Inaldo Vieira, visão do tubo no final de tarde em Teahupoo.


Que equipamento você gosta mais de utilizar?

“Basicamente a 1DX é minha câmera principal. É uma full frame que clica 12 fotos por segundo. ‘The best of both worlds’, ideal para tudo! Para dentro d’água, uso uma 15mm 2.8 fish eye e às vezes a 70-200 2.8 nos dias de manobras. E fora d’água, uma 600, 300 e 70-200, dependendo da necessidade.”


 

Bruce Irons instantes antes da vaca que lhe arrancou a bermuda durante o  épico swell do Code Red em 2011.

“Uma coisa que sempre me abriu as portas foi trabalhar com parceria dos surfistas…”
Gabriel Medina em Teahupoo.

 


Quais seus picos preferidos para fotografar?

Fernando de Noronha e Teahupoo, porque são um estúdio natural, tudo que um fotógrafo de surf sonha!


 

Greg Cordeiro, Naufragados, sul da Ilha da Magia.


O que a fotografia significa para você?

“Filosofia de Vida.”