QUIKSILVER PRO FRANCE É PARALISADO APÓS DUAS BATERIAS

Ondas desafiadoras de 6-8 pés na praia Les Culs Nus deram a largada no Quiksilver Pro France em Hossegor nesta terça-feira. Porém, as condições do mar se deterioraram rapidamente pela força do vento e a comissão técnica decidiu cancelar a competição para o restante do dia. Só foram realizadas duas baterias e uma nova chamada foi marcada para as 8h00 desta quarta-feira na França, 3h00 da madrugada pelo fuso horário de Brasília. O primeiro confronto do próximo dia vai marcar a estreia do Brasil no nono desafio do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, com o potiguar Jadson André enfrentando o sul-africano Jordy Smith e o australiano Kai Otton.

As condições se deterioraram rapidamente em Hossegor e a competição foi cancelada para o restante desta terça-feira. Foto: Poullenot/WSL.

Nesta rodada inicial, os vencedores das baterias passam direto para a terceira fase, mas os perdedores têm outra chance de classificação nos duelos homem a homem da primeira rodada eliminatória do evento, que tem prazo até 15 de outubro para ser encerrado na França. As primeiras vitórias foram conquistadas pelo norte-americano Nat Young e pelo havaiano Keanu Asing. Eles derrotaram os cabeças de chave das duas únicas baterias disputadas na terça-feira na praia Les Culs Nus de Hossegor.

Nat Young começou bem a sua bateria, surfando um tubo profundo de backside numa sólida direita, saindo limpo para executar mais duas manobras e ganhar nota 7,17 dos juízes, a maior do dia. Depois, o californiano só conseguiu pegar mais uma onda que valeu 3,83 para vencer por 11,00 pontos. O campeão mundial Joel Parkinson ficou em segundo lugar com apenas 6,47 e o também australiano Matt Banting terminou em último com 3,43 nas duas notas computadas.

Nat Young. Foto: Cestari/WSL.

“Até tinham boas ondas lá fora, mas a questão era encontra-las, porque a condição está bem difícil. Comecei a bateria pegando uma boa onda logo no início e eu sabia que tinha que aproveitar o máximo dela porque estava complicado encontrar uma boa onda em 30 minutos, duas então era quase impossível. Eu peguei a maior prancha que trouxe para cá, era uma marca nova e eu sabia que ela ia funcionar bem, então estou feliz que deu tudo certo”, disse Nat Young, primeiro classificado para a terceira fase do Quiksilver Pro France.

Na segunda bateria, o havaiano Keanu Asing bateu o onze vezes campeão mundial Kelly Slater e o também americano Kanoa Igarashi. O mar já estava bem mais difícil e poucas ondas boas entraram para os três competidores. Asing teve mais sorte e conseguiu somar notas 4,83 e 3,17 para vencer por apenas 8,00 pontos. Slater ainda surfou a melhor onda da bateria, mas acabou computando 1,73 com o 5,27 recebido nela e terminou em segundo com 7,00 pontos. Já Kanoa Igarashi não pegou nada e ficou em último com 1,50.

Keanu Asing. Foto: Cestari/WSL.

“Estou feliz porque finalmente consegui vencer o Kelly  pela primeira vez. As ondas estão muito complicadas e está muito difícil de remar lá para fora. Se o onze vezes campeão do mundo não conseguiu encontrar uma nota 2,00 para me vencer, isso já diz tudo como estava o mar. Mas, eu realmente procurei concentrar apenas em mim e no que eu precisava fazer para vencer a bateria, mas foi bem difícil competir nessa condição aqui hoje”, falou Keanu Asing.

Depois destas duas baterias, a comissão técnica decidiu cancelar a continuação da primeira fase devido às péssimas condições do mar em Hossegor. Os confrontos seguintes iriam marcar a estreia dos quatro surfistas que vão brigar pela ponta do ranking no Quiksilver Pro France, então as ondas precisam mesmo estar melhores para isso. O primeiro a entrar no mar no próximo dia é o quarto colocado, Jordy Smith, junto com o brasileiro Jadson André e o australiano Kai Otton.

O potiguar Jadson André está na primeira bateria do próximo dia contra o sul-africano Jordy Smith e o australiano Kai Otton. Foto: Cestari/WSL.

Depois, entra o número 3 do ranking, Matt Wilkinson, com outro brasileiro, Miguel Pupo, e um dos convidados da etapa francesa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour, o italiano Leonardo Fioravanti, que lidera o ranking do WSL Qualifying Series. Na quinta bateria, a terceira do próximo dia, o campeão mundial Gabriel Medina começa a defender o título do Quiksilver Pro France contra o havaiano Dusty Payne e o australiano Ryan Callinan. E na sexta, o havaiano John John Florence entra com a lycra amarela de número 1 do Jeep WSL Leader, junto com o californiano Conner Coffin e o outro convidado, o francês Joan Duru.

BRIGA PELA PONTA – Para Gabriel Medina, a condição mínima para tirar a primeira posição de John John Florence na França é chegar nas quartas de final, desde que o havaiano não vença nenhuma bateria em Hossegor. Se o havaiano ganhar uma, o brasileiro só o ultrapassa nas semifinais. E se Florence passar mais uma bateria e chegar na quarta fase ou até nas quartas de final, já obriga Medina a vencer o Quiksilver Pro France para superar sua pontuação.

John John garante a dianteira na corrida do título mundial se chegar nas semifinais, mesmo que Medina conquiste sua terceira vitória na França. Os outros dois concorrentes também terão que torcer para o havaiano não avançar na competição. Florence acaba com as chances de Jordy Smith se vencer duas baterias, ou seja, se passar para a quarta fase. E tira Matt Wilkinson da briga pela ponta do ranking na França se chegar nas quartas de final.

ROXY PRO FRANCE - Diferente da categoria masculina, o título mundial feminino já poderá ser decidido no Roxy Pro France. A australiana Tyler Wright tem a chance de ser consagrada como campeã do Samsung Galaxy World Surf League Women´s Tour 2016, antes mesmo da etapa final na ilha de Maui, no Hawaii. Sua única concorrente é a norte-americana Courtney Conlogue, que precisa vencer a etapa francesa para continuar na briga. As duas buscam o seu primeiro título mundial e Tyler Wright é bicampeã nas duas últimas edições do Roxy Pro, aumentando o favoritismo da australiana para garantir o caneco de número 1 do mundo antes da grande final no Hawaii.

O Quiksilver Pro France e o Roxy Pro France são transmitidos ao vivo de Hossegor clicando aqui 

PRIMEIRA FASE DO QUIKSILVER PRO FRANCE – Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase:

1.a: 1-Nat Young (EUA)=11.00, 2-Joel Parkinson (AUS)=6.47, 3-Matt Banting (AUS)=3.43
2.a: 1-Keanu Asing (HAW)=8.00, 2-Kelly Slater (EUA)=7.00, 3-Kanoa Igarashi (EUA)=1.50
———–ficaram para abrir o próximo dia:
3.a: Jordy Smith (AFR), Jadson André (BRA), Kai Otton (AUS)
4.a: Matt Wilkinson (AUS), Miguel Pupo (BRA), Leonardo Fioravanti (ITA)
5.a: Gabriel Medina (BRA), Dusty Payne (HAW), Ryan Callinan (AUS)
6.a: John John Florence (HAW), Conner Coffin (EUA), Joan Duru (FRA)
7.a: Adrian Buchan (AUS), Stu Kennedy (AUS), Jeremy Flores (FRA)
8.a: Italo Ferreira (BRA), Wiggolly Dantas (BRA), Alex Ribeiro (BRA)
9.a: Julian Wilson (AUS), Caio Ibelli (BRA), Alejo Muniz (BRA)
10: Kolohe Andino (EUA), Sebastian Zietz (HAW), Jack Freestone (AUS)
11: Filipe Toledo (BRA), Josh Kerr (AUS), Davey Cathels (AUS)
12: Adriano de Souza (BRA), Michel Bourez (TAH), Adam Melling (AUS)

PRIMEIRA FASE DO ROXY PRO FRANCE – Vitória=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Segunda Fase:

1.a: Johanne Defay (FRA), Sally Fitzgibbons (AUS), Keely Andrew (AUS)
2.a: Tatiana Weston-Webb (HAW), Sage Erickson (EUA), Lakey Peterson (EUA)
3.a: Tyler Wright (AUS), Bianca Buitendag (AFR), Chelsea Tuach (BRB)
4.a: Courtney Conlogue (EUA), Nikki Van Dijk (AUS), Bronte Macaulay (AUS)
5.a: Carissa Moore (HAW), Laura Enever (AUS), Alessa Quizon (HAW)
6.a: Stephanie Gilmore (AUS), Malia Manuel (HAV), Coco Ho (HAW)