SETE BRASILEIROS PASSAM PARA 3° FASE EM TEAHUPOO

Italo FerreirraSete brasileiros passaram para a terceira fase do Billabong Pro Tahiti e dois já estarão entre os doze melhores da etapa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour nos tubos de Teahupoo. Dois duelos serão verde-amarelos: o quarto entre os potiguares Italo Ferreira e Jadson André, e o sexto com Adriano de Souza e Bruno Santos, que o derrotou na primeira rodada. Entre essas duas baterias, o campeão mundial Gabriel Medina defende o título do WCT do Tahiti contra o havaiano John John Florence no clássico da terceira fase, que será iniciada por Filipe Toledo e o americano Brett Simpson. Wiggolly Dantas também venceu sua primeira bateria em Teahupoo neste domingo e fecha a participação brasileira com o australiano Matt Wilkinson.

“Desde que eu cheguei aqui ainda não tinha visto tantos tubos e peguei um monte deles na minha bateria. O ano passado foi o ano passado e este ano estou focado apenas em fazer o máximo de baterias que puder. Eu sei que a minha próxima vai ser bem difícil  por causa da minha posição no ranking (15.o), mas estou tranquilo. Eu tinha um sonho de ser campeão do mundo e esse sonho se tornou realidade. Este ano eu não estou sentindo nenhuma pressão e só quero surfar”, falou Medina, após derrotar o neozelandês Ricardo Christie por massacrantes 17,67 a 12,44 pontos na segunda fase e tenta o bicampeonato no Tahiti.

A primeira classificação do time brasileiro foi conquistada por Italo Ferreira, derrotando Gabriel Medina no segundo confronto destedomingo de ondas melhores do que no primeiro dia, com séries mais constantes de 5-7 pés proporcionando bons tubos na bancada de Teahupoo. Mas as condições variaram bastante durante o dia e algumas baterias foram disputadas com poucas ondas surfadas pelos competidores. Italo completou o melhor tubo na bateria de estreia de Medina que valeu nota 7,60. Já o atual campeão mundial,  também surfou dois na casa dos sete pontos, porém foi derrotado por uma pequena diferença de 14,43 a 14,27 pontos, com o neozelandês Ricardo Christie ficando em último.

Outros dois brasileiros competiram juntos na bateria que fechou a primeira fase, mas o francês Jeremy Flores pegou as melhores ondas que entraram para vencer por 14,90 pontos. A primeira rodada eliminatória, com os surfistas que estrearam com derrotas, foi iniciada em seguida e Adriano de Souza não deu qualquer chance para o local Taumata Puhetini. Mineirinho se arriscou nos tubos para vencer fácil por 16,26 a 8,44 pontos e vai voltar a enfrentar o mesmo Bruno Santos que o derrotou na primeira fase. O niteroiense já venceu o Billabong Pro Tahiti em 2008 e ganhou uma das duas vagas da triagem disputada na terça-feira. A outra ficou com Taumata.

“Para mim, este sempre foi o evento mais difícil e venho trabalhando bastante nos últimos anos para melhorar minha performance aqui. Tenho enfrentado convidados muito difíceis e ainda preciso trabalhar muito, mas estou realmente orgulhoso de fazer uma bateria contra um taitiano incrível como o Taumata Puhetini. A próxima bateria será contra o meu amigo, Bruno Santos, de novo. Ele me venceu no sábado, então espero que dê boas ondas na bateria e que vença quem surfar os melhores tubos”, falou Adriano.

Depois da vitória de Mineiro, Filipe Toledo enfrentou outro convidado desta etapa, o australiano Garrett Parkes. Foi uma bateria fraca de ondas, encerrada em 8,57 a 8,23 pontos a favor do brasileiro. Na disputa seguinte, os tubos voltaram a bombar em Teahupoo para o norte-americano C. J. Hobgood aumentar os recordes do campeonato com a nota 9,80 e os 18,13 pontos que totalizou na vitória sobre o californiano Nat Young. Bons tubos também rolaram para Brett Simpson despachar Taj Burrow com uma nota 9,17 e Bede Durbidge tirar duas na casa dos 7 pontos contra o irlandês Glenn Hall.

Porém, as condições do mar pioraram quando Wiggolly Dantas enfrentou o norte-americano Kolohe Andino. Guigui ainda achou um belo tubo para manter a invencibilidade do Brasil na segunda fase do Billabong Pro Tahiti. Na bateria seguinte, Gabriel Medina pegou vários tubos para fazer o segundo maior placar do dia, 17,67 pontos contra 12,44 do neozelandês Ricardo Christie. A única baixa foi Miguel Pupo, que não achou as ondas contra o australiano Kai Otton. Mas, na sequência, o potiguar Jadson André surfou belos tubos para despachar outro local do Tahiti, Michel Bourez, por uma larga vantagem de 17,10 a 10,60 pontos.

DUELO POTIGUAR - Jadson agora vai voltar a enfrentar o seu conterrâneo Italo Ferreira. Eles já disputaram dois duelos eliminatórios seguidos no WCT e Jadson perdeu os dois para Italo, que é um dos novatos no seleto grupo dos 34 melhores do mundo esse ano. O primeiro encontro dos dois amigos foi nas quartas de final do Oi Rio Pro no Postinho da Barra da Tijuca e o outro nesta mesma terceira fase do Fiji Pro nos tubos de Cloudbreak. Por enquanto, o placar deste duelo potiguar está em 2 a 0 para Italo Ferreira, que vem sendo o melhor estreante na temporada 2015 da WSL.

O Billabong Pro Tahiti tem prazo até o dia 25 para ser encerrado e a primeira chamada esta segunda-feira foi marcada para as 7h30 no Tahiti, 14h30 pelo fuso horário de Brasília. Para conferir o evento ao vivo, clique aqui.

TERCEIRA FASE DO BILLABONG PRO TAHITI

———–Vitória=Quarta Fase / Derrota=13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 10.500 de prêmio: 
1.a: Filipe Toledo (BRA)
x Brett Simpson (EUA)
2.a: Bede Durbidge (AUS) x Kai Otton (AUS)
3.a: Owen Wright (AUS) x Dusty Payne (HAW)
4.a: Italo Ferreira (BRA) x Jadson André (BRA)
5.a:
John John Florence (HAW) x Gabriel Medina (BRA)
6.a: Adriano de Souza (BRA) x Bruno Santos (BRA)
7.a: Mick Fanning (AUS) x Aritz Aranburu (ESP)
8.a: Wiggolly Dantas (BRA) x Matt Wilkinson (AUS)
9.a: Josh Kerr (AUS) x Adrian Buchan (AUS)
10: Kelly Slater (EUA) x Sebastian Zietz (HAW)
11: Jeremy Flores (FRA) x Joel Parkinson (AUS)
12: Julian Wilson (AUS) x C. J. Hobgood (EUA)

SEGUNDA FASE DO BILLABONG PRO TAHITI
———–Vitória=Terceira Fase / Derrota=25.o lugar com 500 pontos e US$ 9.000: 

1.a: Adriano de Souza (BRA) 16.26 x 8.44 Taumata Puhetini (TAH)
2.a: Filipe Toledo (BRA) 8.57 x 8.23 Garrett Parkes (AUS)
3.a: C. J. Hobgood (EUA) 18.13 x 16.66 Nat Young (EUA)
4.a: Brett Simpson (EUA) 16.50 x 10.23 Taj Burrow (AUS)
5.a: Bede Durbidge (AUS) 14.36 x 9.44 Glenn Hall (IRL)
6.a: Wiggolly Dantas (BRA) 10.83 x 4.47 Kolohe Andino (EUA)
7.a: Gabriel Medina (BRA) 17.67 x 12.44 Ricardo Christie (NZL)
8.a: Matt Wilkinson (AUS) 12.50 x 10.96 Fredrick Patacchia (HAW)
9.a: Kai Otton (AUS) 14.66 x 5.54 Miguel Pupo (BRA)
10: Jadson André (BRA) 17.10
x 10.60 Michel Bourez (TAH)
11: Adrian Buchan (AUS) 16.40 x 15.27 Adam Melling (AUS)
12: Sebastian Zietz (HAW) 14.60 x 14.07 Keanu Asing (HAW)

PRIMEIRA FASE – Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase:
———–baterias que abriram o domingo:

9.a: 1-Josh Kerr (AUS)=17.17, 2-Kolohe Andino (EUA)=12.80, 3-Matt Wilkinson (AUS)=9.00
10: 1-Italo Ferreira (BRA)=14.43, 2-Gabriel Medina (BRA)=14.27, 3-Ricardo Christie (NZL)=5.73
11: 1-John John Florence (HAW)=17.96, 2-Fredrick Patacchia (HAW)=13.83, 3-Bede Durbidge (AUS)=11.43
12: 1-Jeremy Flores (FRA)=14.90, 2-Wiggolly Dantas (BRA)=12.34, 3-Miguel Pupo (BRA)=12.27
———–resultados das oito baterias do sábado:
1.a:
1-Kelly Slater (EUA)=15.10, 2-Jadson André (BRA)=8.23, 3-Brett Simpson (EUA)=4.70
2.a: 1-Owen Wright (AUS)=11.67, 2-Adrian Buchan (AUS)=11.50, 3-C. J. Hobgood (EUA)=9.67
3.a: 1-Aritz Aranburu (ESP)=13.10, 2-Keanu Asing (HAW)=7.16, 3-Filipe Toledo (BRA)=5.37
4.a: 1-Julian Wilson (AUS)=10.66, 2-Sebastian Zietz (HAW)=9.00, 3-Garrett Parkes (AUS)=1.30
5.a: 1-Mick Fanning (AUS)=12.17, 2-Adam Melling (AUS)=6.26, 3-Taumata Puhetini (TAH)=1.33
6.a: 1-Bruno Santos (BRA)=8.67, 2-Adriano de Souza (BRA)=5.30, 3-Michel Bourez (TAH)=2.44
7.a: 1-Dusty Payne (HAW)=10.00, 2-Nat Young (EUA)=5.14, 3-Kai Otton (AUS)=1.30
8.a: 1-Joel Parkinson (AUS)=10.83, 2-Taj Burrow (AUS)=4.77, 3-Glenn Hall (IRL)=2.96