QUEM SÃO OS TOPS QUE PODEM ASSUMIR O TOPO DO RANKING EM J-BAY

Por que o ranking do Circuito Mundial ficou ainda mais embolado depois da etapa em Fiji.

Se o ranking do Circuito Mundial já estava embolado antes da etapa de Fiji, com três vice-líderes colados no atual número 1, John John Florence, a disputa pelo título da temporada ficou ainda mais acirrada depois da vitória de Matt Wilkinson em Fiji. (Em destaque: Adriano de Souza comemorando o título no Rio Pro nas ondas de Itaúna. Foto: Poullenot/WSL)

Matt Wilkinson e Connor O'Leary comemorando os resultados na etapa de Fiji. Foto: Sloane/WSL

Matt Wilkinson e Connor O’Leary comemorando os resultados na etapa de Fiji. Foto: Sloane/WSL

Com os 10.000 pontos obtidos no evento, Wilko assumiu a liderança com 26.750 pontos. Já o vice-campeão do Fiji Pro, Connor O’Leary, subiu para sétima colocação.

Com 18.450 de pontuação, O’Leary e o sexto colocado Joel Parkinson (22.650) passaram a ter chances de assumir a liderança após a próxima etapa, em Jefferys Bay, África do Sul (entre 12 a 23 de julho), que terá sete surfistas na briga pelo topo do Circuito.

Brasileiro mais bem colocado no Tour até o momento

O público em Itaúna ovacionando o campeão Adriano de Souza pela conquista em Saquarema. Foto: Smorigo/WSL.

Adriano de Souza, o brasileiro mais bem colocado na temporada, caiu para a terceira colocação, agora com 26.150 pontos. Mineirinho segue empatado com o sul-africano Jordy Smith e o australiano Owen Wright. Os três saíram na terceira fase em Fiji. E caso avançasse ao Round 4, Mineiro já teria pontuação suficiente para ultrapassar John John Florence no ranking.

Lycra amarela do Jeep WSL Leader

Mick Fanning em Jeffreys Bay no ano passado. Foto: Cestari/WSL.

Por conta da proximidade de pontos entre os cinco primeiros colocados no Circuito Mundial, a lycra amarela ficará com o integrante do quinteto que ficar mais bem colocado na África do Sul.  Atual campeão de Jefferys Bay, Mick Fanning conquistou a etapa ano passado ao bater John John Florence na final. O título marcou a volta por cima do tricampeão mundial, atacado por um tubarão na mesma J-Bay em 2015.

Cinco campeões em cinco etapas

Os cinco principais concorrentes ao título mundial venceram as cinco primeiras etapas do ano. Matt Wilkinson foi o primeiro a chegar em duas finais. Antes do título em Fiji, Wilko perdeu a final de Gold Coast para Owen Wright. John John Florence ganhou a segunda etapa em Margaret River, Jordy Smith venceu a de Bells Beach e Adriano de Souza foi o campeão do Rio Pro, etapa brasileira do Tour.

Gabriel Medina em ação no Quiksilver Pro Gold Coast este ano. Foto: Sloane/WSL.

Gabriel Medina em ação no Quiksilver Pro Gold Coast este ano. Foto: Sloane/WSL.

O segundo brasileiro mais bem colocado no ranking é Gabriel Medina. Com um terceiro lugar na Gold Coast como melhor desempenho na temporada, Medina ocupa atualmente o 11º lugar do Circuito Mundial, com 14.500 pontos.

E Filipe Toledo, fora da etapa de Fiji por conta de uma suspensão, está em 14º, com 13.950. Filipinho já está liberado para voltar em Jefferys Bay.

A etapa de Fiji foi a primeira do ano em que nenhum integrante do time verde-amarelo participou da fase decisiva.

Italo Ferreira em ação nas ondas de Cloudbreak durante o Outerknown Fiji Pro 2017. Foto: Cestari/WSL.

Os brasileiros que mais chegaram longe foram Italo Ferreira e Ian Gouveia, ambos eliminados na quinta fase. Após a incrível recuperação da lesão no tornozelo que o tirou de três etapas, Italo foi batido pelo australiano Julian Wilson, que surfou um tubaço nota 9,17. Já o pernambucano Ian Gouveia liderou toda a sua bateria, até o italiano Leonardo Fioravanti também achar um longo tubo a três minutos do fim, recebendo nota 8,83 e virando o placar para 14,83 a 11,33.

Fonte: globoesporte.globo.com