Os melhores surfistas do mundo voltaram à ativa no Oi Rio Pro após dois dias sem competições. No dia de hoje, o palco escolhido foi o Postinho, onde as ondas proporcionavam boas parades para manobras e rampas para aéreos estavam formadas. Cinco brasileiros avançaram para a próxima fase e agora temos nove representantes classificados para o Round 3. O grande público presente na praia ainda viu Gabriel Medina fazer história nas ondas da Barra da Tijuca, com direito a nota 10. O paulista completou o primeiro backflip realizado com sucesso numa competição. A próxima chamada será domingo novamente no Posto 2 às 7h da manhã.

As ondas estão com uma boa formação para as manobras. Foto: Luciano Cabal.

MINEIRO AVANÇA PARA O ROUND 3

O atual campeão mundial Adriano de Souza se recuperou da derrota para Lucas Silveira na primeira fase. Na primeira bateria do dia, ele não deu chances ao campeão brasileiro de 2015 Bino Lopes na repescagem. Os dois adotaram posicionamentos diferentes no mar e a experiência de 10 anos no WCT fez a diferença para Mineiro, que conseguiu ondas com mais parede no pico onde ficou posicionado. O baiano ainda tentou alguns aéreos para virar, já que Adriano não tinha um score muito alto, mas não obteve sucesso.

Adriano de Souza fez o suficiente para sair vencedor. Foto: Luciano Cabal.

DEIVID SILVA MANDA O LÍDER DO RANKING PARA CASA

O australiano Matt Wilkinson, número 1 do ranking da WSL, começou melhor a bateria com o forte surf de backside que possui. Mas chegando perto do fim o brasileiro Deivid Silva ficou mais elétrico na bateria, pegou mais ondas e partiu para o tudo ou nada. Dois alley oops renderam a vitória para o paulista. O segundo saiu melhor que o primeiro e trouxe a vitória no minuto final, quando Deivid precisava de um 8.07.

Os alley oops deram a vitória a Deivid Silva. Foto: Luciano Cabal.

MEDINA ACERTA O PRIMEIRO BACKFLIP EM UMA COMPETIÇÃO

Bateria histórica no Oi Rio Pro. Desde que apareceu para o mundo do surf, Gabriel Medina sempre mostrou que está no circuito para fazer história. Novamente ele fez algo que ninguém nunca tinha feito. Desta vez, o primeiro backflip já realizado em uma competição. Medina já havia sido o terceiro surfista do mundo a completar o “mortal para trás” no free surf e agora é o primeiro a levar ela para uma bateria.

O paulista da Praia Grande Alex Ribeiro não pôde fazer nada diante de um Medina tão inspirado. O primeiro campeão mundial brasileiro acertou vários aéreos e já tinha deixado Alex em combination após dois full rotations bem completados. Mas a mágica veio depois com o backflip, que deixou todos no areia perplexos e recebeu a nota máxima. O 10 somado a um 9.40 foi o maior somatório do dia.

CAIO IBELLI LEVA A MELHOR SOBRE JADSON ANDRÉ 

O paulista Caio Ibelli, sexto colocado no ranking, mantém a boa fase no WCT ao vencer o potiguar Jadson André. Ele adotou a estratégia de pegar muitas ondas, o que acabou dando certo em uma bateria apertada. Com a somatória de 10.73 ele superou os 10.63 de Jadson, que quase virou no fim ao acertar duas batidas de backside numa direita, logo depois de ter acertado um aéreo na onda anterior. Lembrando que o potiguar ainda se recupera de uma lesão sofrida na etapa de Bells Beach, Austrália, e só participou do evento nas ondas cariocas por querer competir no Brasil.

Caio Ibelli passou pelo brasileiro Jadson com um surf eficiente. Foto: Luciano Cabal.

PUPO ACHA DUAS ONDAS BOAS E VIRA NO FIM CONTRA ACE

Mais um brasileiro classificado para o round 3, Miguel Pupo aposta no base-lip e vence Adrian Buchan. Pupo passou grande parte da bateria na segunda colocação atrás do australiano, mas nos últimos minutos encontrou duas boas esquerdas onde manobrou forte e virou o heat. No final do confronto, uma boa onda abrindo para os dois lado levantou a torcida na areia. Miguel foi para a esquerda e Ace para a direita. Nesse momento decisivo, o brasileiro surfou bem melhor que o aussie. Pupo já saiu com uma rasgada muito forte e concluiu com duas batidas, conseguindo 6.87 para consolidar a vitória sobre Buchan.

IMG_6544Miguel fez uma boa bateria e levantou a torcida brasileira na praia. Foto: Luciano Cabal.

WIGGOLLY ELIMINADO

Os brasileiros foram muito bem na manhã deste sábado e mantiveram 100% de aproveitamento até o último heat com um atleta da casa no Round 2. As únicas derrotas haviam sido em baterias verde-amarelas, mas Wiggolly Dantas não conseguiu passar pelo wildcard Stuart Kennedy, que vem eliminando importantes nomes no circuito este ano.

IMG_6808Wiggolly tentou até o último segundo com muita garra, mas não conseguiu passar de fase. Foto: Luciano Cabal.

IMG_6374A praia da Barra da Tijuca recebeu um bom público neste sábado. Foto: Luciano Cabal.

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=25.o lugar com 500 pontos e US$ 9.000 de prêmio:
1.a: Adriano de Souza (BRA) 13.00 x 4.96 Bino Lopes (BRA)
2.a: Deivid Silva (BRA) 14.73 x 14.50 Matt Wilkinson (AUS)
3.a: Dusty Payne (HAW) 13.93 x 11.34 Julian Wilson (AUS)
4.a: Gabriel Medina (BRA) 19.40 x 7.90 Alex Ribeiro (BRA)
5.a: Jack Freestone (AUS) 14.57 x 11.77 Jeremy Flores (FRA)
6.a: Matt Banting (AUS) 14.76 x 14.66 Kolohe Andino (EUA)
7.a: Sebastian Zietz (HAW) 14.33 x 11.86 Keanu Asing (HAW)
8.a: Caio Ibelli (BRA) 10.73 x 10.67 Jadson André (BRA)
9.a: Miguel Pupo (BRA) 13.30 x 11.73 Adrian Buchan (AUS)
10: Stu Kennedy (AUS) 14.17 x 11.44 Wiggolly Dantas (BRA)
11: Kanoa Igarashi (EUA) 15.33 x 13.27 Josh Kerr (AUS)
12: Michel Bourez (TAH) 13,50 x 11,74 Conner Coffin (EUA)

TERCEIRA FASE – Derrota=13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 10.500 de prêmio:
1.a: Filipe Toledo (BRA) x Leonardo Fioravanti (ITA)
2.a: John John Florence (HAW) x Alejo Muniz (BRA)
3.a: Nat Young (EUA) x Dusty Payne (HAW)
4.a: Caio Ibelli (BRA) x Ryan Callinan (AUS)
5.a: Stu Kennedy (AUS) x Davey Cathels (AUS)
6.a: Adriano de Souza (BRA) x Lucas Silveira (BRA)
7.a: Italo Ferreira (BRA) x Marco Fernandez (BRA)
8.a: Kanoa Igarashi (EUA) x Miguel Pupo (BRA)
9.a: Sebastian Zietz (HAW) x Adam Melling (AUS)
10: Jordy Smith (AFR) x Jack Freestone (AUS)
11: Michel Bourez (TAH) x Matt Banting (AUS)
12: Gabriel Medina (BRA) x Deivid Silva (BRA)