Fugindo da prostituição, Nasima Akter se torna primeira surfista de Bangladesh e sua trajetória é contada em filme de um diretor californiano.

Nasima passou de pioneira a uma sobrevivente ao se tornar a primeira surfista de Bangladesh. Foto: vimeo.com

Num país muçulmano conservador onde mulheres não podem usar trajes de banho e são criticadas até mesmo por nadar em público, a jovem Nasima Akter, de 18 anos, passou de pioneira a uma sobrevivente ao se tornar a primeira surfista de Bangladesh.

A jovem se divertindo nas ondas. Foto:hypeness.com.br

Expulsa da casa dos pais aos sete anos de idade, após se recusar a se prostituir para ajudar a aumentar a renda da família, Nasima encontrou abrigo numa comunidade de surfistas em Cox’s Bazar, conhecida por ser a maior faixa ininterrupta de areia do mundo. No local, ela aprendeu a surfar e chegou a bater surfistas mais experientes em competições locais.

Foto: Reprodução/Marie Claire US.

A trajetória da jovem chamou a atenção do documentarista californiano Heather Kessinger, que resolveu narrá-la em “The Most Fearless” (A mais destemida), filme que está percorrendo o circuito de festivais. Kessinger contou que o filme aborda a história de Nasima em três etapas, de sobrevivente –chamada de prostituta por locais apenas por cair na água-, a pioneira e até um modelo para outras jovens bengalesas.

“Nasima quer ser uma boa esposa muçulmana e respeitada por sua comunidade, mas ela não está nem um pouco disposta a abrir mão do seu sonho de ser surfista profissional por isso. Ao contar a própria história, ela está quebrando barreiras para que outras garotas façam o mesmo”, contou o diretor à Marie Claire americana,  diretor”.

Assista ao trailer oficial “The Most Fearless” e se inspire na história dessa jovem surfista.

Por Longarina, parceira da Surfar na seção Surf Feminino.