SURFAR #45 JÁ NAS BANCAS DE TODO PAÍS!

Já faz algum tempo que o Brasil se tornou uma grande potência do surf mundial, seja no big surf com Carlos Burle, Danilo Couto e Rodrigo Resende, entre outros; ou  surf competição com muitas vitórias no Circuito Mundial.

Melhor da Série – Felipe ‘Gordo’ Cesarano relaxado num final de tarde no Grower. Quem olha assim, nem imagina o que tem no fundo. Crédito: Pedro Tojal.

A confirmação veio após o título de Gabriel Medina. A mídia especializada internacional acostumada a fazer matérias nas revistas de surf e em sites zoando os brasileiros, muitas vezes de forma pejorativa, agora é obrigada a fazer rasgados elogios na locução dos campeonatos ou estampando fotos de Filipe Toledo e Yago Dora nas capas da Surfing, Stab e na inglesa Carve.

Bônus – Mais de duas mil pessoas “incendiaram”o primeiro evento do Red Bull Unleashead realizado na piscina de ondas artificiais Surf Snowdonia no País de Gales, Reino Unido. O novo formato competitivo abre possibilidades para que o esporte se torne olímpico nos próximos anos. Crédito: Divulgação Red Bull

Na verdade, nunca incomodamos tanto a supremacia dos australianos e americanos, que há décadas disputavam entre eles o posto de melhor surfista do mundo.  Mas não é só no âmbito das competições e no big surf que os brasileiros se destacam, no free surf temos uma galera de peso que vem fazendo frente em diversos picos espalhados pelo mundo afora.

 

Grower – Pipeline made in Indonésia. Crédito: Pedro Tojal.

Um exemplo do bom momento que o surf brasileiro vem passando pode ser visto também na Indonésia. De uns quatro anos para cá, a Surfar tem marcado presença em todas as temporadas no Grower, parte mais desafiadora de Desert Point dominada por brasileiros.

 

 

A onda é considerada por alguns dos melhores tuberiders da atualidade como umas das três  melhores esquerdas do planeta, ao lado de Teahupoo e Pipeline.

Grower – Pipeline made in Indonésia. Crédito: Pedro Tojal.

A Surfar esteve novamente acompanhando de perto a festa de tubos dos nossos freesurfers, que conquistam cada dia mais reconhecimento de sites e revista ao redor do mundo. Para mostrar que esse assunto não é brincadeira, reservamos algumas páginas com uma matéria especial do Grower.

 

O Lado B das Pranchas. Crédito: Divulgação Rusty.

Na matéria “O Lado B das Pranchas”, conversamos com alguns shapers, surfistas e lojistas para abrir um pouco os horizontes e entender melhor os designs não competitivos que vêm tendo uma grande demanda no mercado mundial de pranchas.

 

 

 

São equipamentos com propósitos e formatos bem diferentes dos perseguidos pelos competidores. Uma ala mais livre para o shaper criar e o surfista experimentar.

O Lado B das Pranchas. Crédito: Sebastian Rojas, Everton Luis e Itamar Guimarães.

 

Entrevista Dave Rastovich. Crédito: Divulgação Billabong.

E no final da matéria, entrevistamos o freesurfer Dave Rastovich, um surfista que foge de todos os estereótipos que você já imaginou.

 

 

 

 

 

Uma frase dita durante a entrevista para a Surfar, define bem o ideal do australiano. “As habilidades dos surfistas modernos são fantásticas, só não me interessam.”  

Entrevista Dave Rastovich. Crédito: Divulgação Billabong.

Na nova edição da Surfar, você vai poder acompanhar um pouco do que aconteceu de mais importante no mundo do surf. Garanta seu exemplar da Surfar #45 nas bancas de todo o Brasil! 

Ensaio Surfar Barbara Espasandin. Crédito: Fred Rozário.